Reforma ministerial divide mais as bancadas governistas, diz líder do Governo

  • Por Agência Estado
  • 07/10/2015 17h25
BRASÍLIA, DF, 03.06.2015: SENADO-DIA - O líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS) - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), preside sessão deliberativa no plenário do Senado, em Brasília (DF), na tarde desta quarta-feira (3). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) Folhapress líder do governo no Senado

O líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), disse nesta quarta-feira, 7, considerar “inacreditável” a falta de mobilização dos parlamentares que impediu pelo segundo dia consecutivo a votação dos vetos presidenciais e reconheceu que a mudança no primeiro escalão do governo pode não ter surtido efeito para o governo ter uma base fiel no Congresso.

“É lamentável, não tem o que dizer. É inacreditável essa falta de mobilização e, consequentemente, apesar de o Senado ter novamente dado quórum suficiente, isso não aconteceu na Câmara. Eu lamento profundamente. Foi feita uma reforma e aparentemente ela não dá nenhum resultado. Ela está dividindo mais as bancadas governistas. Quem perde é o País”, disse.

Para o governista, a desarrumação política continua e foram evidenciadas nas duas tentativas frustradas de reunião do Congresso. Delcídio disse que “alguma coisa” não está funcionando bem e é preciso avaliar se o fato de fortalecer mais um partido – numa referência indireta ao PMDB – pode ter complicado a articulação da base do governo na Câmara.

O líder do governo lembrou que hoje havia 406 deputados que estavam presentes na Câmara, mas na sessão do Congresso não havia nem metade disso – na verdade, a sessão encerrou com 228 deputados tendo registrado presença, quando eram necessários, para iniciar a votação, pelo menos 257. 

“Foi muito ruim o que aconteceu hoje e não adianta ficar tapando o sol com a peneira. Tem que ter humildade e encarar, saber onde que estão os problemas para corrigir isso”, disse Delcídio. Ele disse que a leitura que se faz fora, principalmente na área econômica, é extremamente nociva porque passa sinal de insegurança e isso é transmitido a todos os setores da sociedade.