‘Reforma tributária não está morna, ficou para 2020’, diz economista da proposta da Câmara

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2019 12h34
Adriano Makoto Suzuki/FlickrA PEC 45 tem como principal objetivo a unificação de tributos federais (PIS, Cofins e IPI), estaduais (ICMS) e municipais (ISS)

O economista e autor da proposta da reforma tributária em tramitação na Câmara dos Deputados, Bernard Appy, discordou nesta quarta-feira (4) de que a reforma tributária esteja morna.

“A reforma não está morna. Está certo que ela ficou para o ano que vem. No primeiro trimestre de 2020 é que veremos se a reforma tributária está morna ou não”, disse Appy durante participação no Seminário de Produtividade e Reformas.

Membro do Centro de Cidadania Fiscal, Appy é autor do estudo em que se baseia a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45 de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP).

A PEC 45 tem como principal objetivo a unificação de tributos federais (PIS, Cofins e IPI), estaduais (ICMS) e municipais (ISS). O novo tributo, batizado de Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), replicará no Brasil o modelo do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) – aplicado em outros países.

*Com informações do Estadão Conteúdo