Relator do Orçamento quer pacote fiscal mais detalhado e articulado pelo governo

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2015 11h04
Ricardo Barros (PP)

O relator do Orçamento da União para 2016 quer que governo discuta com mais profundidade o pacote fiscal, antes do envio ao Congresso.

As medidas, que incluem a volta da CPMF, devem ser encaminhadas ao legialativo ainda nessa semana. Na última quinta-feira, os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, foram explicar as mudanças aos parlamentares.

O relator-geral do Orçamento, deputado Ricardo Barros, do Partido Progressista, avalia que falta o detalhamento das propostas.

“O governo precisa fazer as propostas bem detalhadas, bem explicadas, para não haver muita discussão técnica”, disse o parlamentar em entrevista exclusiva ao repórter Jovem Pan Thiago Uberreich.

“Essa semana deve ter dado tempo o suficiente para a área técnica do governo construir os textos”, espera Barros. “Eu sugiro que haja uma articulação política dos textos antes de eles serem publicados”.

O relator do Orçamento acrescenta que a CPMF, se aprovada, não vai entrar em vigor antes de 2017

Oposição

Já senador Ronaldo Caiado, do Democratas, voltou a criticar o governo e defendeu que o Brasil fique sem aumento de impostos pelos próximos 4 anos. Caiado entende que o Palácio do Planalto errou ao não fazer a lição de casa: cortar gastos.

O líder do governo na Câmara, José Guimarães, do PT, afirmou que o Congresso Nacional precisa ajudar o país a equilibrar as contas. Guimarães declarou na semana passada que foi criado um “fetiche” na opinião pública sobre a volta da CPMF.

O parlamentar alega que a população brasileira não vai nem sentir o retorno do imposto.