Ricardo Ferraço (PMDB-ES) é o nome mais cotado a entrar na disputa pelo Senado em oposição a Renan Calheiros

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2015 16h10
BRASÍLIA, DF, BRASIL, 14-03-2011, 13h00: O senador Ricardo Ferraço, autor do pedido da sessão especial, discursa no plenário do Senado Federal, em Brasília (DF), durante sessão especial destinada a comemorar o 90º aniversário de fundação do jornal Folha de S.Paulo. (Foto: Sérgio Lima/Folhapress, PODER)Ricardo Ferraço

A disputas no Congresso Nacional pelas presidências da Câmara e do Senado Federal é surda, não estridente. O deputado Julio Delgado tentou levar esse debate para a sociedade e isso aumentaria as chances dele na avaliação de seus assessores. Ele queria um grande debate público sobre presidente da Câmara e Senado, no entanto não deu certo.

Os partidos, até os de oposição, ficam assustados quando vêem o PMDB tomando conta da vice-presidência, da presidência da Câmara e da Presidência do Senado. Eles entendem que esse tempo de “PMDB hegemônico”, já passou. No entanto, é isso que deve ocorrer.

O deputado Eduardo Cunha, líder do PMDB, depois de ganhar o apoio da Executiva Nacional, pressiona o Governo para ficar independente nessa disputa para presidência da Câmara dos Deputados. Arlindo Chinaglia, vice-presidente da Câmara, do PT-SP, tenta fazer a disputa com o lídero do PMDB, mas até o Partido dos Trabalhadores não abre muito espaço para um apoio total para Chinaglia disputar com Cunha. Por fora, vem o lídero do PSB, deputado Julio Delgado, tentando fazer com que sobre apoio da oposição.

Essa é uma disputa importante, pois está diretamente ligada ao poder logo abaixo da Presidência e vice-presidência da República.

Já no Senado Federal, a oposição está tentando minar o senador Renan Calheiros, que é candidato à reeleição e procura um nome para, dentro do PMDB, receber os votos dos dissidentes dos independentes e também os votos de oposição.

Os líderes “fizeram as contas” e chegaram à conclusão de que é possível vencer Renan Calheiros, mas para isso é preciso unir oposição e independentes. O nome trabalhado neste momento é o do senador Ricardo Ferraço, do PMDB-ES, que está disposto a entrar nessa disputa com Renan Calheiros.

Ferraço afirmou que não quer ser um anti-candidato, mas quer ser candidato se houver a viabilidade. O senador ainda conta com a divisão da bancada, com os independentes, e sabe que cada voto é importante para sua candidatura.

O PMDB ainda irá se reunir e decidir quem vai apoiar para a presidência.