Russomanno, Doria e Skaf lideram intenções para o governo de SP

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2017 09h52
Jovem PanRussomanno concorreu em 2014 para a Prefeitura de São Paulo, mas perdeu no primeiro turno para João Doria, com quem poderá disputar novamente

Ainda em cenário muito incerto, o deputado federal Celso Russomanno (PRB) lidera a corrida entre os pré-candidatos para o governo do Estado de São Paulo em 2018 com 25% das intenções de voto, seguido pelo prefeito da capital, João Doria (PSDB), com 19%, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf (PMDB), com 13%. Quando colocado como candidato tucano, o senador e ex-governador José Serra fica com 13% a 14%.

A pesquisa do Instituto Datafolha, no entanto, que traça diversos cenários com vários possíveis candidatos, mostra que grande parte do eleitorado ainda não escolheu em quem deve votar. Disseram que vão votar em branco, nulo ou em nenhum dos acima citados 22% dos entrevistados e que não sabem, 3%, somando os mesmos 25% que tem o líder da pesquisa, Russomanno.

Em outras pesquisas estimuladas, o índice de nulos e brancos varia entre 19% (com Doria e Haddad) e 28% (sem tucanos). Na pesquisa espontânea, quando nenhum nome é apresentado, 65% dos eleitores não sabem em quem votarão e 20% já preveem que vão anular ou votar em branco.

Márcio Franca (PSB), vice-governador que deve assumir o governo paulista quando Alckmin se desvencilhar para concorrer à Presidência no primeiro semestre de 2018, aparece com 2 a 3% das intenções de votos.

Outros nomes apontados são os do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), com 8% a 9% das intenções, o ministro e ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), com 3% a 5%, deputado federal licenciado e secretário estadual da Habitação Rodrigo Garcia (DEM) e Gabriel Chalita (PDT), com 2% a 4%. A professora Lisete Arelaro (PSOL) e o vice-prefeito de Guarulhos Alexandre Zeitune (Rede) ficaram com 1%.

Alternativas tucanas e petistas são desconhecidas e têm pouca intenção, como o senador José Aníbal (PSDB), com 2%, e o ex-prefeito e ex-ministro Luiz Marinho (PT), candidato de Lula, com 2% a 4%. Eles, porém, têm menor rejeição que Doria e Haddad.

Rejeição

Kassab lidera a rejeição entre os paulistas (41%), seguido por Serra (40%), Haddad (34%), Doria (28%), Russomanno (24%), Skaf (24%), Chalita (21%), Marinho (20%), Aníbal (18%), França (14%), Arelaro (13%), Garcia (13%) e Zeitune (12%). Dizem que rejeitam todos 6%. Dois por cento não rejeita nenhum deles e 3% não sabem.

O Datafolha realizou 2.006 entrevistas em 69 cidades paulistas entre 28 e 30 de novembro.

Surge ameaça ao PSDB em SP; quem se aliar ao PT está derrotado