São Paulo e mais cinco regiões flexibilizam quarentena e serviços podem funcionar até as 22h

Governador João Doria afirmou que, até 30 de dezembro, todos os brasileiros do Estado serão vacinados contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2021 13h35 - Atualizado em 05/02/2021 13h58
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOAs regiões que agora avançaram para a Fase 3 - Amarela ampliam o horário de funcionamento para até as 22h

O governo de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira, 5, mais uma atualização do Plano São Paulo. Agora, a Grande São Paulo, Baixada Santista, Campinas, Registro, Presidente Prudente e Araçatuba estão na fase menos restritiva da quarentena. De acordo com o governador do Estado, João Doria, a queda nas internações pela terceira semana consecutiva e a abertura de novos leitos possibilitaram que nove regiões avançassem. Apenas uma regrediu. As regiões de São José do Rio Preto, Barretos, Marília, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté. estão na Fase 2 – Laranja. Araraquara, Franca e Bauru estão na fase mais restrita. Nesta sexta, João Doria afirmou também que todos os brasileiros de São Paulo serão vacinados até 30 de dezembro deste ano.

Novas medidas valem a partir do próximo sábado, 6. As regiões que agora avançaram para a Fase 3 – Amarela ampliam o horário de funcionamento para até as 22h. Venda de bebidas alcoólicas, no entanto, só podem ser comercializadas até às 20h. Clientes não podem ser atendidos em pé. Nesta sexta-feira, São Paulo tem 1.833.163 casos de Covid-19 e 54.324 óbitos pela doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 67,4% no Estado e em 66,3% na Grande São Paulo. O número de internados está em 5.845 na UTI e 6.829 em enfermaria — entre casos confirmados e suspeitos. Os números da pandemia apresentaram uma ligeira melhora nas últimas semanas: -11% no número de casos, +4% nos óbitos e -15% nas internações.

CoronaVac

O Estado de São Paulo entrega, nesta sexta-feira, mais 1,1 milhão de doses da CoronaVac para o Ministério da Saúde. Do total, 248 mil doses vão ficar em São Paulo — obedecendo a proporcionalidade do Plano Nacional de Imunização (PNI). Ainda sem considerar esse lote, nove em cada 10 vacinas contra a Covid-19 aplicadas no Brasil são do Instituto Butantan. Somados, o Butantan já entregou 9,8 milhões de doses da CoronaVac para serem distribuídos por todo o país. A previsão é de que, na próxima semana, mais 5,6 mil litros de insumos para a produção de 8,6 milhões de doses cheguem da China. O Estado que entregar, até setembro, 100 milhões de doses da vacina. João Doria também acrescentou que todos os brasileiros de São Paulo serão vacinados até 30 de dezembro deste ano.