São Paulo ultrapassa marca de 10 mil mortes por Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2020 14h07 - Atualizado em 11/06/2020 14h19
Luciano Claudino/Estadão ConteúdoPessoas usam máscaras para se proteger do coronavírus em São Paulo

O estado de São Paulo ultrapassou nesta quinta-feira (11) a marca de 10 mil mortos pela Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, São Paulo tem 10.145 mortos e 162.520 casos confirmados. Nas últimas 24 horas, foram 283 novos óbitos e 6.204 novos casos.

Uma projeção feita na quarta pelo próprio governo estima que o número de mortes pode mais que dobrar e chegar a 22 mil até o final de junho. A projeção também aponta que o estado pode ter, até o fim deste mês, entre 190 mil e 265 mil casos confirmados da doença.

Esse cenário de números é feito com base em uma taxa de isolamento social de 50% — mas a taxa vem ficando abaixo desse patamar em todo o estado.

Na quarta, a capital paulista registrou 48% de isolamento, e o estado esteve com taxa de 46%. Em números absolutos, São Paulo é o estado com maior quantidade de mortes e casos confirmados no País.

Ainda nesta quarta, o governo prorrogou a quarentena até o dia 28 de junho. O novo modelo prevê a reabertura econômica, ainda que com restrição, em diversas regiões. O Plano São Paulo classificou as regiões administrativas segundo cores entre vermelho, laranja, amarelo e verde, em que a primeira indica restrição total, e a última, uma abertura quase que total da economia, de acordo com evolução da doença e a capacidade de resposta do Sistema Único de Saúde (SUS).

Pela atualização do plano, que passa a valer na próxima segunda, as cidades das regiões de Barretos, Ribeirão Preto e Presidente Prudente, no interior do estado de São Paulo, terão de adotar regras mais rígidas por causa do aumento de casos de coronavírus. Essas regiões saíram da zona “amarela” e migram para a zona “vermelha” do plano.

Já as regiões da Grande São Paulo, da Baixada Santista e de Registro (no Vale do Ribeira), que concentram 26% da população do Estado, migraram da classificação “vermelha” para a “laranja” após redução do número de novos casos e aumento do número de leitos de internação. De acordo com o boletim desta quinta, a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 77% na Grande São Paulo e de 69,4% no Estado.

*Com informações do Estadão Conteúdo