Sara Winter é solta após 10 dias na prisão

Ministro do STF Alexandre de Moraes decidiu não renovar a prisão temporária da ativista

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2020 17h04 - Atualizado em 25/06/2020 07h50
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOSara Winter deixou a prisão nesta quarta-feira (24)

A ativista Sara Fernanda Giromini, conhecida como Sara Winter, foi solta no fim da tarde desta quarta-feira (24). Ela passou 10 dias em prisão temporária em Brasília.

Sara deixou o presídio feminino da capital federal, mas seguirá usando tornozeleira eletrônica. A decisão foi dada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que preferiu não renovar a ordem de prisão da ativista.

Sara Winter é líder do grupo 300 do Brasil, que apoia o presidente Jair Bolsonaro. Ela foi presa no dia 15 de junho em caráter temporário, com duração de cinco dias. A prisão foi renovada por mais cinco dias por Moraes em 19 de junho. O prazo acabou nesta quarta. Os outros quatro presos do grupo também foram soltos.

A militante é investigada em dois inquéritos do STF, o das fake news e dos atos antidemocráticos – este último motivou a prisão dela.

Com a medida cautelar, a extremista fica proibida de participar de atos ou manifestações que tem sido conduzidas pelo grupo. As medidas cautelares se estendem a outros cinco investigados do inquérito.

No início de junho, Sara Winter postou um vídeo nas redes sociais ameaçando o ministro da Corte. Na ocasião, ela disse que tinha vontade de “trocar socos” com Alexandre de Moraes e prometeu “infernizar” a vida dele, além de persegui-lo.

* Com Estadão Conteúdo

* Atualizada às 21h40