Sarampo: quem deve tomar a vacina e quais são os principais sintomas

  • Por Carolina Fortes
  • 23/07/2019 16h13
Altemar Alcantara/SemcomEm São Paulo, a prefeitura orienta que todas as pessoas entre 15 e 29 anos tomem a vacina, mesmo que já tenham recebido as duas doses

O número de casos de sarampo tem disparado no Brasil. Segundo balanço divulgado na segunda-feira (22), desde 17 de junho, somente na capital paulista o avanço foi de 1.034%, um aumento de 32 para 363 casos, dos quais 70 são autóctones (contraídos no município).

Para conter a escalada na cidade, a campanha de vacinação de jovens de 15 a 29 anos, público-alvo da ação, será realizada nas escolas e nos batalhões da PM. Empresas que se recusarem a colaborar com as ações de bloqueio podem ser fechadas por 21 dias.

Uma campanha com o público-alvo, que tem menos chance de ter completado o esquema vacinal do sarampo, composto por duas doses, está sendo realizada desde 10 de junho. No entanto, apenas 6% dessa população se vacinou.

Também nesta semana, a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro confirmou um surto da doença em Paraty e alertou para que as pessoas procurem os postos para se vacinar.

A imunologista e professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e membro da Sociedade Brasileira de Imunologia Daniela Rosa conversou com a Jovem Pan para explicar as principais dúvidas referentes à doença.

Quem precisa se vacinar? 

  • Quem nunca teve sarampo;
  • Quem ainda não tomou as duas doses da vacina;
  • Quem não sabe se já tomou o número adequado de doses da vacina.

Quantas doses são recomendadas?

  • Jovens dos 15 aos 29 anos: Duas doses;
  • Adultos dos 30 aos 49 anos: Uma dose;

Em São Paulo, a prefeitura orienta que todas as pessoas entre 15 e 29 anos tomem a vacina, mesmo que já tenham recebido as duas doses. No entanto, de acordo com Daniela, o surto atual acomete principalmente jovens na faixa dos 20 anos, por isso essa população é o foco principal das campanhas. Para adultos e idosos, uma dose já induz proteção suficiente. As doses precisam ser aplicadas com intervalo de 30 dias entre uma e outra.

Já para mais velhos, uma dose induz proteção suficiente.

Quem não sabe se já tomou a vacina deve se imunizar?

Sim. Quem nunca tomou ou acha que não tomou deve se vacinar novamente. Segundo a professora, a vacina do sarampo é muito segura e eficaz. Uma dose confere proteção de 70% a 80%; duas doses, de 95% a 98%.

Caso a pessoa tome uma dose adicional, há risco para a saúde?

Não. Uma dose a mais da vacina não confere risco para a saúde, por isso está sendo aplicada mesmo em quem não tem certeza se já tomou. Daniela alerta para a importância em se vacinar e explica que o surto de sarampo voltou, pois a cobertura vacinal diminuiu no país. “Quando há uma cobertura de 95% da população vacinada forma-se uma escudo chamado imunidade coletiva, que impede que uma pessoa infectada inicie um surto da doença. Para quem não pode tomar a vacina, essa cobertura é essencial.”

Quais são os principais sintomas? Quando é recomendável que se vá para o hospital?

  • Irritação nos olhos;
  • Conjuntivite;
  • Corrimento no nariz;
  • Manchas brancas na parte interna da bochecha e mal estar;
  • Tosse persistente;
  • Manchas vermelhas na pele.

É recomendável que se vá para um hospital ou posto de saúde assim que começarem os primeiros sintomas. Quando a pessoa é infectada, pode demorar até 10 dias para que eles comecem a aparecer. Nesse período, o sarampo já pode ser transmitido.

Para quem a vacina é contraindicada?

  • Gestantes;
  • Pessoas com imunodeficiência;
  • Pacientes em tratamento contra o câncer;
  • Bebês com menos de um ano.

Estas pessoas devem consultar um médico antes de tomar a vacina.

O calendário da vacinação indica que o período ideal para aplicar a primeira dose é aos 12 meses de idade. A vacina tem menor eficácia antes dessa idade, mas pais com bebês com menos de 12 meses que farão viagens a locais considerados de risco devem procurar um pediatra para avaliar se é indicado fazer a imunização.

O que é o sarampo?

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa. Ela pode ser contraída por pessoas de qualquer idade e evitada pela vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O sarampo integra o Programa Nacional de Imunizações (PNI), e a vacina é aplicada aos 12 meses, com reforço aos 15 meses com a tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela).

Quem já teve sarampo não precisa se vacinar, pois já possui os anticorpos para que a doença seja evitada.

Existe tratamento para o sarampo?

De acordo com o Ministério da Saúde, não existe tratamento específico para o sarampo. É essencial procurar um médico aos primeiros sintomas da doença para saber qual é o tratamento adequado. Normalmente, recomenda-se a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado.

Consulte a unidade de saúde mais próxima de você para realizar a vacinação em São Paulo