“Se for necessário serei candidato à presidência da República”, diz Lula

  • Por Agência Estado
  • 27/02/2016 22h35
RJ - ANIVERSÁRIO-PT-EVENTO - GERAL - O ex presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em comemoração ao aniversário de 36 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), no Armazém da Utopia, no Cais do Porto, no Rio de Janeiro (RJ), na noite deste sábado (27). 27/02/2016 - Foto: JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Agência Estado Depois de dizer que deixará de ser "paz e amor"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desafiou a oposição a lançar um candidato competitivo em 2018. “Se quiserem voltar ao poder, se preparem para 2018 e vamos disputar democraticamente. Sacanagem a gente não aceita”, afirmou em discurso inflamado para militantes que participavam da festa de 36 anos do PT. “Se quiserem me derrotar, não vão me derrotar mentindo. Vão ter de me derrotar na rua”, disse ainda. 

O ex-presidente então emendou: “Quando deixei a presidência, pensei em sair do Brasil para deixar a Dilma governar. Agora quero dizer Rui (Falcão), pode estar certo de que se for necessário e vocês entenderem que é necessário para a manutenção do projeto, estarei com 72 anos e tesão de 30 para ser presidente da República”. 

Lula se queixou da cobertura da imprensa sobre acusações que pesam sobre petistas e outros aliados do governo. “Temos um partido chamado Globo, um partido chamado Veja, um partido chamado Outros Jornais, que são a oposição desse País”, reclamou Lula disse que a próxima disputa deve ser debate de projetos e citou uma série de realizações de seu governo, especialmente inclusão social. 

O petista admitiu que a situação no País “não é das melhores” e comparou com o Vasco da Gama, seu time no Rio, que caiu para a segunda divisão. “Vocês sabem o que aconteceu, o Vasco caiu e eu continuo vascaíno”, discursou.