“Se nomear ele (Lula) hoje, o que acontece?”, perguntou presidente do PT a Wagner no dia de pedido de prisão

  • Por Jovem Pan
  • 18/03/2016 15h15
Jaques Wagner e Rui Falcão

O presidente do PT Rui Falcão ligou para o então ministro-chefe da Casa Civil de Dilma para informá-lo do pedido de prisão preventiva que o Ministério Público de São Paulo fez ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na conversa, é citada a nomeação de Lula. Falcão perguntou: “se nomear ele (Lula) hoje, o que que acontece?”. O ministro não sabia e o presidente do PT pede para consultar. Wagner pergunta se Lula “já decidiu”.

“Não, mas nós “tamo”, todo mundo pressionou ele aqui. Fernando Haddad, todo movimento sindical, todo mundo”, revela Falcão.

A escuta autorizada pelo juiz Sérgio Moro é de 10 de março, mesmo dia em que o MP-SP pediu a prisão preventiva do ex-presidente e agora ministro da Casa Civil, no lugar do próprio Wagner.

Confira abaixo a íntegra deste áudio e o contexto do comentário sobre a “posse” de Lula. Ouça-o acima.

No começo da gravação, aparentemente de um assessor fica preocupado com as “condições” do aparelho celular que estava sendo grampeado pela Justiça Federal do Paraná. “Ele sabe as condições em que estão o celular dele né?”, questiona.

Wagner: Alô.

Falcão: Alo.

Wagner: Oi.

Falcão: Oi, Jaques. O louco do Conserino aqui pediu a preventiva do Lula.

Wagner: É, eu vi porra.

Falcão: E vocês vão deslocar alguém pra cá, como é que é?

Wagner: Deslocar em que sentido?

Falcão: Não, acho que tem que vim alguém pra cá, porra, pra se mexer aqui também.

Wagner: Mas alguém quem? Só pra eu entender. Não, que eu não tô raciocinando. To querendo entender.

Falcão: Não, não tem ministro da justiça, não tem…

Wagner: Não, tem ministro da justiça. Ele tá no ministério.

Flacão: Tem?

Wagner: Claro. Ele tá no posto.

Falcão: Alguma iniciativa vocês precisam tomar. Porque tá na mão de uma juíza da 4ª Vara que não sabe quanto toma a decisão, mas pode tomar a decisão hoje. Nós precisamos…

Wagner: Ah, ele pediu a preventiva do cara, em cima do quê?

Falcão: Não… não tem… em cima do triplex, da denúncia, ele é louco, os três promotores aqui, Jaques.

Wagner: Tá bom. Deixa eu fazer alguma coisa aqui.

Falcão: É, porque eles podem, a juíza pode despachar agora, tá? Tem os advogados tá lá, “tamo” chamando deputado…

Wagner: Falou, ok.

Falcão: A outra coisa é o seguinte: se nomear ele hoje, o que que acontece?

Wagner: Aí não sei, eu tô por fora.

Falcão: Então, consulta isso também, porque a gente…

Wagner: Mas ele já decidiu?

Falcão: Não, mas nós “tamo”, todo mundo pressionou ele aqui. Fernando Haddad, todo movimento sindical, todo mundo.

Wagner: Tá bom.

Falcão: Tá.

Wagner: Eu acho que tem que ficar cercado em torno do prédio dele e sair na porrada, Rui.

Falcão: Tem nada.

Wagner: Não, tudo bem, ué? Mas tem que cercar tudo.

Falcão: Não, eu sei, mas enquanto isso…

Wagner: Tudo bem, deixa eu falar aqui.

Falcão: (enquanto isso)… alerta a presidente. Toma a decisão de estado-maior aí.

Wagner: Falou, ok.

Falcão: E mantém a gente informado. Ele, tá?

Wagner: Tá bom.