Secretaria de Segurança diz que Lula não pediu escolta

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2018 12h26
AGEPTDois dos ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na região Sul sofreram um ataque a bala entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, sudoeste do Paraná. O atentado deixou dois furos na lataria do lado direito de um dos coletivos. O outro veículo foi atingido de raspão em um vidro lateral. Ninguém se feriu

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná divulgou nota sobre o ataque a tiros à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrido na noite desta terça (27).

A secretaria que comanda a Polícia Militar local afirmou que “não houve qualquer pedido formal de escolta da caravana do ex-presidente nem (d)o próprio ex-presidente, embora ele tenha esta prerrogativa”.

“Tanto é que o paradeiro dele é incerto e não sabido”, diz a nota. A SESP-PR informou também que “houve alteração do roteiro e do cronograma” inicialmente informados sobre a caravana.

No entanto, a SESP garante que “reforçou o policiamento em todos os locais indicados pelos representantes da caravana, onde seriam realizadas as manifestações com a presença do ex-presidente Lula”.

Ontem, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS) reclamou que as autoridades não têm dado a devida proteção ao ex-presidente.

A Secretaria de Segurança disse ainda que perícia sobre os três tiros que atingiram ônibus do grupo que acompanha o petista deverá ficar pronta “nos próximos dias” e que o caso é apurado pela “elite da Polícia Civil”.

Veja a nota completa:

A respeito do episódio envolvendo a caravana do ex-presidente da República, a Secretaria da Segurança Pública informa:

– Um inquérito policial foi aberto para apurar as circunstâncias do fato e duas equipes do COPE (Centro de Operações Policiais Especiais), unidade de elite da Polícia Civil do Paraná, estão na cidade de Laranjeiras do Sul para ajudar nas investigações.

– O Instituto de Criminalística do Paraná está finalizando o laudo de perícia no ônibus e o documento deve ficar pronto nos próximos dias.

– Não houve qualquer pedido formal de escolta da caravana do ex-presidente nem o próprio ex-presidente, embora ele tenha esta prerrogativa. Tanto é que o paradeiro dele é incerto e não sabido. Cabe ressaltar que houve alteração, por parte dos organizadores da caravana, do roteiro e do cronograma que foram informados previamente às forças de segurança do Estado do Paraná.

– Por fim, a Sesp reafirma que a Polícia Militar do Paraná reforçou o policiamento em todos os locais indicados pelos representantes da caravana, onde seriam realizadas as manifestações com a presença do ex-presidente Lula.