Secretário de FHC vê setor econômico como maior desafio para presidente eleito

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2014 09h29

Um dos maiores desafios do novo presidente brasileiro, que será eleito neste domingo (26), residirá no aspecto econômico. Essa é a opinião de Everardo Macedo, Secretário da Receita Federal no governo de Fernando Henrique Cardoso, que falou à Jovem Pan. De acordo com ele, outra díficil missão do novo chefe de Estado será realizar uma “reconciliação nacional”.

Na visão de Macedo, a intensa troca de acusações entre Dilma Rousseff (PT) e Áecio Neves (PSDB) durante a corrida presidencial deixará resquícios para quem se eleger. “Quem vencer nas urnas terá uma missão díficil porque não me lembro do país reunir tantos problemas. O grau de violência política nessa campanha tornou o Brasil um país dividido. É precisa realizar uma reconcialiação nacional”, disse.

Para o ex-Secrétario da Receita Federal, o aspecto econômico será o principal desafio do candidato eleito. “Do ponto de vista econômico, há os problemas de inflação, desemprego, juros e problemas fiscais. É necessário um esforço herculeo para conseguir superar essa dificuldade”, projeta. 

Macedo aponta a questão dos gastos públicos como uma das mais graves no que tange a área ecônomica. “O problema da elevada carga tributária não está propriamente no tributo, essa é o grande equívoco que há quando se examina o caso. Se o gasto público é elevado como é, a carga tributária será pesada. É preciso que haja um disciplinamento do gasto público brasileiro, isso é uma questão central. Sem isso, não teremos um novo olhar nesse país”, declarou.

Além do elevado gasto público, a questão de infraestrutura também preocupa Macedo, que indica uma maior participação dos setores privados para auxiliar no problema.. “O grande problema da economia brasileira é a precaridade da nossa infraestrutura. Há uma participação muito restritiva da iniciativa privada nessa questão”, finalizou.