Sem alarde, STF vota pedido de Cunha para retomar mandato

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2018 10h38
Marcelo Camargo/Agência BrasilCondenado em um dos processos na Lava Jato a que responde, Eduardo Cunnha está preso preventivamente desde outubro de 2016

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski liberou o mandado de segurança do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), que pede para anular a decisão que cassou seu mandato de deputado federal. A informação é do colunista de O Globo Lauro Jardim.

A votação será por meio do plenário virtual, ou seja, feita de modo eletrônico, sem alarde.

A tendência é de que os ministros do Supremo mantenham Cunha, que está preso na Lava Jato, longe do Congresso.

Cunha responde a supostos recebimentos de propina em duas ações: na compra de campo de petróleo em Benin, na África, e na compra de navios-sonda, também para a Petrobras. Em outro processo, o emedebista é acusado de improbidade administrativa por usar do cargo para aumentar o patrimônio.

Condenação

O ex-presidente da Câmara foi condenado em março do ano passado pelo juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, a 15 anos e quatro meses de prisão, por participação em um esquema de corrupção na compra de um campo de petróleo, em Benin, na África, pela Petrobras. Cunha teria recebido US$ 1,5 milhão em propina.

Em novembro do ano passado, a condenação foi confirmada pelo TRF4, que, no entanto, reduziu a pena de Cunha para 14 anos e seis meses de prisão.