Sem espaço para novas manobras, Renan Calheiros acusa opositores

  • 02/02/2019 19h24
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Sem espaço para novas manobras e pressentindo que iria receber uma derrota histórica, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) se retirou do plenário logo após o início da segunda rodada de votação para escolha da nova presidência da Casa.

Em rápida entrevista na saída do Senado, Calheiros afirmou que as regras democráticas não estavam sendo cumpridas. “Nós fizemos uma votação, houve um equívoco, não se sabe porque”, afirmou. “O recomendável era reproduzir a votação, ele já tinham feito o voto aberto pra eles e, na segunda votação exigiram que o PSDB abrisse o voto.”

Renan insinuou que o senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) teria mudado de voto ao declarar sua escolha por Alcolumbre na segunda rodada de votação. “Obrigaram o filho do presidente a abrir o voto. Escancarou que estão passando em cima do Congresso Nacional com um peso enorme”, afirmou. “O próximo passo é o Supremo Tribunal Federal, sem o carro e o sargento.”