Sem trabalhar, suplentes de deputados federais irão receber cerca de R$ 150 mil

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2015 10h39
DF - MP/PLENÁRIO - POLÍTICA - O deputado Fernando Ferro (PT-PE) discursa na tribuna sobre a Medida Provisória 507/10, que pune com demissão o servidor público que usar indevidamente seu direito de acesso restrito à informações protegidas por sigilo fiscal, ou facilitar o acesso de pessoas não autorizadas a esses dados, no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, nesta terça- feira. 01/03/2011 - Foto: DIDA SAMPAIO/AGÊNCIA ESTADO/AECâmara dos Deputados

Os suplentes de deputados federais irão receber cerca de R$ 150 mil mesmo em recesso parlamentar e sem atividades legislativas. Trinta e quatro suplentes assumiram o mandato para ficar no cargo por um mês, 27 deles permanecem no posto até 31 de janeiro.

Os outros sete serão novamente empossados em primeiro de fevereiro porque foram eleitos em 5 de outubro para mais quatro anos. O valor a que cada deputado terá direito é composto de salário, de R$ 26.700, e verbas parlamentares como auxílio-moradia, R$ 3.800.

Ainda verbas para ressarcir despesas que variam de R$ 27 mil a R$ 41 mil e a verba de gabinete para pagamento de funcionários, de R$ 78 mil. Em entrevista a Izilda Alves, cientista político Rafael Cortez explicou que o valor destinado aos suplentes vem dos impostos pagos pelo contribuinte.

*Ouça os detalhes no áudio

O consultor econômico Raul Veloso lembrou que o Brasil atravessa um período difícil no qual qualquer valor economizado é bem-vindo. Ele avalia que gastos com despesas desnecessárias, como as dos suplentes, desafiam o bom senso neste momento.

Os suplentes que assumiram o mandato o fizeram em vagas deixadas pelos até então deputados titulares. Eles se licenciaram ou renunciaram para assumir outro cargo como secretários estaduais, ministro de Estado, vice-governador ou governador.