Senado aprova MP e salário mínimo é instituído em R$ 1.045

Aumento passou a vigorar em janeiro deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2020 20h17
PixabayEditado no final do ano passado, o texto acrescentou ao salário mínimo um reajuste de 4,1%

O Senado aprovou nesta quarta-feira (27) a Medida Provisória que institui o salário mínimo em R$ 1.045. A proposta, que passou ontem na Câmara, incorpora ao salário mínimo o aumento que passou a vigorar em janeiro deste ano, quando a MP foi publicada.

Editado no final do ano passado, o texto acrescentou ao salário mínimo um reajuste de 4,1%, que corresponde à estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para 2019. Com isso, o valor passou de R$ 998 para R$ 1.039.

Como a inflação de dezembro de 2019 foi divulgada em janeiro deste ano, o índice anual do INPC do ano passado foi de 4,48%. Com isso, o salário mínimo teve uma alta nominal de 4,7%, chegando ao valor final de R$ 1.045. O texto vai à sanção presidencial.

O relator da medida no Senado, Paulo Paim (PT-RS), rejeitou emendas que pretendiam um aumento maior do valor, em virtude da situação de crise econômica vivida no país, em razão da epidemia do novo coronavírus.

“Em que pesem as nobres intenções de todos os autores, consideramos que se torna inviável a aprovação das emendas apresentadas, em face […] da necessidade de, em meio ao período de grande retração econômica que se avizinha, evitarmos a agudização do quadro fiscal, já pressionado pela necessidade de novas despesas para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.”

O governo apresentou proposta de salário mínimo de R$ 1.079 para o ano que vem. A informação está no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2021. O novo valor representa um reajuste de R$ 34 em relação ao atual, de R$ 1.045.

Auxílio aos estados atingidos pelas enchentes

O Senado aprovou também a Medida Provisória 920/2020, que abriu crédito extraordinário de R$ 892 milhões para o Ministério do Desenvolvimento Regional. O dinheiro será utilizado, segundo o texto, para atendimento emergencial às vítimas das enchentes no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo no fim de janeiro.

O dinheiro também será aplicado no restabelecimento dos serviços, bem como a execução de ações de reconstrução de infraestrutura danificada ou destruída pelas fortes chuvas nesses estados. A matéria vai à sanção presidencial.

* Com informações da Agência Brasil