‘Serão tratados como brasileiros’, diz General Heleno sobre povos indígenas

Ministro ainda afirmou que dados de desmatamento são fruto de “desonestidade intelectual”

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2019 17h11
Fátima Meira/Estadão ConteúdoSegundo General. país sofre de "surtos de moralização" com relação à Amazônia

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, afirmou que o governo federal dará atenção inédita aos povos indígenas e que eles serão “tratados como brasileiros”. Ele participou de uma coletiva nesta quinta (1) no Palácio do Planalto para tratar de dados sobre o desmatamento no país.

“Vários livros sobre a Amazônia tratam desse termo: ‘povos da floresta'”, ironizou. “Mas verdade é que eles não receberam até hoje o tratamento que vão receber no governo Bolsonaro. Não podemos permitir que eles sejam objeto de observação de estrangeiros ou de trabalho de antropólogos. Serão tratados como brasileiros.”

Heleno afirmou que o país sofre de “surtos de moralização” com relação à Amazônia. O ministro ainda disse que os dados recentemente divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) são fruto de “desonestidade intelectual” e colocam o Brasil como “grande destruidor do Meio Ambiente na humanidade”. O órgão apontou um aumento de 88% no desmatamento floresta em junho, na comparação com o mesmo mês do ano passado.

“Um país como o nosso, que tem 8,5 milhões de quilômetros quadrados, é complexo. Divulgar qualquer problema desse tipo é muito sério”, disse. “É uma falta de honestidade intelectual que boa parte da imprensa divulga”.

No evento desta tarde, o governo apresentou dados a respeito da queda na cobertura florestal da Amazônia no último ano. A apresentação foi feita pelo Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O chefe da pasta apontou várias imagens de satélite localizadas em diversas regiões da Amazônia que registraram desmatamento. Segundo ele, no entanto, os dados publicados pelo Inpe referem-se a áreas que perderam cobertura florestal no ano passado, mas que só foram computadas em 2019.