Sergio Moro defende a criação de um ‘Plano Real contra a alta criminalidade’

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2018 20h16
JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO"É importante iniciar um círculo virtuoso de reformas no judiciário", disse o futuro ministro

Sergio Moro, ex-juiz federal e futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública no governo de Jair Bolsonaro (PSL), apresentou, no fim da tarde desta sexta-feira (23), uma palestra no encerramento do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, realizado pela FGV, no Rio de Janeiro. Durante o evento, ele falou mais uma vez sobre os trabalhos que vai executar à frente da pasta, citando a criação de um “Plano Real contra a alta criminalidade”.

“O que se quer a partir de fevereiro é uma espécie de Plano Real contra a alta criminalidade no Brasil”, disse, fazendo referência a um projeto de lei contra corrupção, crime organizado e crimes violentos que já está “em gestação” e que pretende enviar no início do próximo ano legislativo. “Aproveito para saudar os deputados eleitos presentes e pedir apoio. É importante iniciar um círculo virtuoso de reformas no judiciário”, completou.

Além disso, citou novamente a proposta de replicar o modelo de forças-tarefas focadas em combate à corrupção e defendeu mudanças pontuais no processo de investigação criminal. “Muitas vezes, na investigação criminal, no processo penal, existem pontos de estrangulamento. Pequenas alterações podem fazer grande diferença”, afirmou.

Moro também defendeu a proibição da progressão de regime de penas para presos que pertencem a organizações criminosas. Ele lembrou que essa progressão visa a ressocialização – o que dificilmente acontece com apenados ligados a facções. “Vai servir como desestímulo ao ingresso em organizações”, disse. Para ele, trata-se de uma mudança “simples”.

“Quem sabe iniciamos um círculo virtuoso? Temos a crença de que alguns problemas são permanentes do País, quase como doenças tropicais, e que não podemos fazer nada. Isso tudo é falso”, concluiu.

*Com informações do Estadão Conteúdo