Seria absurdo falar em renúncia do presidente Temer agora, diz CNI

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/12/2016 13h30

O presidente da CNIO presidente da CNI

O presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, disse que é “absurdo” falar em renúncia do presidente Michel Temer neste momento. Depois de a delação de diretores da Odebrecht envolver nomes próximos ao presidente, a oposição passou a pedir que Temer renuncie ainda em 2016. 

“Isso é coisa de uma oposição desestruturada, sem rumo e sem caminho, que não pensa no Brasil”, afirmou Andrade. 

O presidente da entidade disse acreditar que Temer terminará o mandato. Andrade disse que o pedido de Temer para que a Procuradoria Geral da República acelere as investigações foi “muito apropriado” e que os vazamentos aumentam a insegurança jurídica. “Hoje você vê uma delação e não sabe mais o que é verdade e o que não é. Você tem até medo de conversar com as pessoas”, completou. 

Pacote 

Andrade disse que o pacote que o governo pretende lançar com medidas microeconômicas e de melhoria do ambiente de negócios pode ajudar a economia a se estabilizar, mas não deve surtir efeito no crescimento econômico. Ele listou medidas que a indústria espera serem contempladas pelo governo, como a abertura de linhas de crédito, a criação de programas de renegociação de dívidas para empresas e pessoas físicas e a desburocratização da exportação. “Essas questões deveriam estar no foco do governo”, acrescentou.