Sindicato de agentes penitenciários denuncia que facção já encomendou a morte de Ronnie Lessa em presídio de SP

Desde o anúncio que Lessa seria transferido para São Paulo, o Sifuspesp alertou sobre os riscos que a mudança traria para o sistema prisional como um todo

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2024 15h24 - Atualizado em 21/06/2024 15h26
Reprodução Sifuspesp Ronnie Lessa e Presídio de Tremembé

O Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp) demonstrou preocupação com a transferência de Ronnie Lessa, assassino confesso da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes para a Penitenciária 1 de Tremembé. A instituição enviou ofícios ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes; ao Secretário de Administração Penitenciária, Marcelo Streinfinger; à Desembargadora Ivana David, do TJSP, e ao promotor do Gaeco Lincoln Gakiya solicitando a reavaliação da transferência. O pedido é embasado em denúncias recebidas pelo Sindicato que apontam um risco de segurança tanto para Lessa, quanto para os policiais penais da unidade e demais servidores. Segundo o Sindicato, denúncia recebida por e-mail indica que o Primeiro Comando da Capital (PCC) teria decretado a morte de Lessa. O ofício destaca que o clima na P1 de Tremembé está tenso, com relatos de que a unidade pode enfrentar uma escalada de violência e uma possível rebelião. Isso acontece porque Lessa é ex-PM e ligado à milícia, combinação que o torna inimigo do PCC.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Ainda de acordo com o Sifuspesp, a situação é agravada pela falta de policiais penais, o que fragiliza a segurança interna e expõe todos ao risco. Além disso, o sindicato informa que a acomodação do preso no Seguro, conforme a denúncia, não seria suficiente para garantir a segurança de Lessa, considerando a estrutura física da unidade. No ofício, o Sifuspesp solicita que a transferência de Ronnie Lessa seja reavaliada e que ele seja encaminhado para outra unidade que ofereça maior segurança, como o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) de Presidente Bernardes ou outra unidade adequada. O sindicato reforça a importância de garantir a lei e a ordem dentro das unidades prisionais, protegendo tanto os detentos quanto os policiais penais e demais servidores. Desde o anúncio que Lessa seria transferido para São Paulo, o Sifuspesp alertou sobre os riscos que a mudança traria para o sistema prisional como um todo. No entendimento do sindicato, a melhor opção para garantir a estabilidade do sistema prisional e a segurança dos servidores e presos seria sua transferência para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) em Presidente Bernardes. Este regime é o mais rígido do país, destinado a presos que oferecem alto risco à sociedade e à segurança interna das unidades prisionais. A inclusão no RDD depende de decisão da Justiça.

Publicado por Heverton Nascimento

*Com informações de Sifuspesp

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.