Skaf afirma que recusou convite do MDB para concorrer à prefeitura de SP

  • Por Victoria Abel
  • 03/10/2019 17h16 - Atualizado em 03/10/2019 17h33
Charles Sholl/Estadão ConteúdoSkaf ainda criticou Doria por estar encabeçando movimentos políticos para as disputas de 2020 e 2022

O presidente da FIESP e ex-candidato ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, afirmou nesta quinta-feira (3) que foi convidado pelo MDB para disputar à prefeitura de São Paulo, mas recusou a proposta.

O PSDB tem articulado uma aproximação com o MDB para apoiar a candidatura de Bruno Covas em 2020. A aliança eliminaria, assim, a possibilidade da sigla lançar um candidato próprio, o que repercutiu como uma eventual tentativa de isolar Skaf.

Contrariando a tese, no entanto, o presidente da FIESP declarou que o partido estudou lançar seu nome. “Para 2020, o partido me perguntou se eu aceitaria ser candidato a prefeito de São Paulo, eu disse que não, que não seria candidato a nada em 2020. Quanto a 2022, está muito cedo para falar de qualquer coisa”, disse Skaf.

Nesta semana, o governador João Doria assumiu que tem estreitado laços políticos com partidos de centro na formação uma força única para as próximas eleições. Skaf criticou Doria por estar encabeçando movimentos políticos para as disputas de 2020 e 2022. “Minha recomendação a ele, e a todos aqueles que são eleitos, que exerçam seus cargos e não fiquem pensando nisso”, afirmou.

O ex-candidato ao governo de São Paulo e adversário de Doria participou hoje de evento na sede da FIESP, onde recebeu o ex-presidente Michel Temer e o ex-governador Geraldo Alckmin.