Vacina contra covid-19 produzida por SP deve estar disponível no SUS até junho de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2020 12h35 - Atualizado em 11/06/2020 13h35
EFE/EPA/RUNGROJ YONGRIT Mais cedo, pelo Twitter, João Doria afirmou que a droga é uma das que está em estágio mais avançado em todo o mundo

O governador do Estado, João Doria, anunciou nesta quinta-feira (11) que São Paulo vai produzir uma vacina contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, por meio de uma parceria do Instituto Butantan e do laboratório internacional Sinovac Biotech. “Essa vacina é a nossa esperança e a nossa fé.”

Mais cedo, pelo Twitter, Doria adiantou que a droga é uma das que está em estágio mais avançado em todo o mundo. Ela já estaria na terceira fase de testes — o último antes da distribuição.

Na coletiva, o governador afirmou que, se comprovada eficácia e segurança nos testes, a vacina deve estar disponível até junho de 2021. “O Instituto Butantan terá domínio tecnológico para produção da vacina, que vai ser produzida em larga escala para fornecimento gratuito ao SUS.”

João Doria esteve presente na última quarta-feira (10) no Instituto Butantan para assinar contrato, formalizando o acordo. O mundo contabiliza, hoje, mais de 100 vacinas contra o novo coronavírus — mas apenas 10 atingiram a fase final de testes em humanos. A da Sinovac é uma delas.

A Fase 1, com 144 voluntários, e a Fase 2, com 600 voluntários, já foram concluídas na China. A partir de julho se inicia a Fase 3, onde cerca de 9 mil voluntários brasileiros vão participar desses testes clínicos com acompanhamento. “Se tudo der certo, vamos poder imunizar milhões de brasileiros”, comemorou.

Números

O Estado de São Paulo tem, nesta quinta-feira (1), 162.520 casos confirmados da covid-19 — mais 6.204 em relação ao dia anterior. Em relação às mortes, já são 10.145 — 283 a mais que quarta-feira.

Em relação aos leitos de UTI, no Estado a ocupação é de 69,4%. Já na Grande São Paulo, a situação é pior: 77%. Entre casos suspeitos e confirmados, são 5.211 brasileiros internados na terapia intensiva e 8.085 em enfermaria.