Doria diz que SP não vai usar investimento público do Tesouro para obras

Segundo ele, os investimentos serão feitos por concessão

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2020 17h47 - Atualizado em 08/01/2020 17h51
Rovena Rosa/Agência BrasilUm dos exemplos do governador foram as construções do Metrô

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (8) que o Estado não vai mais usar recursos do Tesouro para fazer investimentos. Ele usou como exemplo a construção de novas linhas do Metrô. “(Esses e outros investimentos) serão todos feitos por concessão”, afirmou em coletiva após os resultados do leilão do lote rodoviário PiPa, na B3.

Doria afirmou ainda que a estimativa é de que o governo federal possa realizar a privatização dos portos de Santos e São Sebastião ainda em 2020.

As estimativas anteriores para o porto de Santos, entretanto, traziam um cenário não antes de 2021 para a privatização. Doria não deu mais detalhes.

Sobre outros projetos, o governador afirmou que o a ligação do Trem Intercidades ao Vale do Parnaíba deve ser apresentado já no primeiro semestre deste ano.

O que é o Tesouro

O Tesouro é como se fosse o caixa do Brasil. Ele é responsável por receber e administrar o capital do Estado, avaliar sua situação fiscal e fazer relatórios periódicos. Ou seja, é como se fosse o “contador” do país.

Além de administrar a dívida pública da União, essa secretaria também gerencia o saneamento financeiro dos Estados e seus municípios.

* Com informações do Estadão Conteúdo