SP: Polícia Civil pede prisão de homem que ameaçou e tentou extorquir João Doria

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2020 10h10 - Atualizado em 19/06/2020 10h23
Bruno Escolástico/Estadão ConteúdoA perícia realizada no celular do indiciado apontou a existência das gravações no aparelho

A Polícia Civil de São Paulo pediu a prisão preventiva de Hércules Cordeiro Torres, indiciado após tentativa de extorsão do governador João Doria (PSDB), segundo informações do Estadão. O relatório final do inquérito aponta que Hércules tentou ‘de maneira sórdida’, por meio de mensagens e áudios, tirar R$ 5 milhões do tucano.

As ameaças analisadas teriam sido enviadas por uma conta no Instagram, @opdoriajr. A perícia realizada no celular do indiciado apontou a existência de gravações no aparelho. Mensagens encaminhadas à primeira dama de São Paulo, Bia Doria, falavam sobre uma suposta encomenda de assassinato do governador pelo valor R$ 3 milhões. O autor cobrava R$ 5 milhões para que não houvesse a execução de João Doria.

A Polícia considerou que há “robustos indícios de autoria, inclusive, confissão do indiciado”. “Não convence a versão de que ‘queria apenas assustar’ as vítimas”, registrou o delegado. O documento cita também a prisão temporária de Hércules, no dia 15 de maio, em Santa Cruz do Capibaribe (PE).

Hércules foi, anteriormente, alvo de mandado de prisão após investigação da Polícia Civil da Paraíba sobre a tentativa de extorsão do ex-governador Ricardo Coutinho. Na ocasião, o pedido se baseava em ameaças de morte ao filho de Coutinho, caso não fosse paga a quantia de R$ 3 milhões. Os investigadores apontaram que o celular de Hércules foi utilizado para a prática do crime. Ele negou os delitos.

O ‘ponto fulcral’ da investigação sobre as ameaças contra Doria, de acordo com a Polícia Civil, foi identificar que a namorada de Hércules utilizava um dos pontos de acesso da conta que enviou as ameaças a Bia Doria.