STF autoriza abertura de inquérito contra Mercadante, Edinho Silva e Aloysio Nunes

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2015 08h52
Montagem/Agência Brasil Aloizio Mercadante

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki autorizou a abertura de inquérito contra Aloizio Mercadante, ministro-chefe da Casa Civil, e contra Edinho Silva, ministro da Secretaria de Comunicação Social. Zavascki autorizou ainda a investigação contra o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), segundo informações divulgadas neste sábado (05) pelo Jornal Nacional, da Rede Globo.

Os três são acusados de suposto envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato. A investigação tem como base a delação premiada de Ricardo Pessoa, dono da UTC.

De acordo com o Jornal Nacional, Pessoa afirmou aos integrantes da força-tarefa da Lava Jato que efetuou em 2010 repasses às campanhas de Aloysio Nunes e Mercadante. O dono da UTC afirmou ainda que Edinho Silva, na época tesoureiro da campanha de Dilma, pediu dinheiro supostamente desviado da Petrobras para a campanha de 2014.

No âmbito das investigações da Operação Lava Jato, Pessoa declarou que doou R$ 7,5 milhões à campanha de Dilma por medo de prejuízos em contratos junto à estatal. Pelas informações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a empreiteira de Pessoa doou R$ 7 milhões para a campanha de Dilma. A contribuição teria sido acordada diretamente com Edinho Silva.

Segundo declarações prestadas aos investigadores, Pessoa disse ter doado R$ 500 mil desviados de obras da Petrobras para Aloizio Mercadante, quando este era candidato ao governo de São Paulo. Aloysio Nunes teria recebido, segundo delação premiada de Pessoa, R$ 500 mil do esquema – R$ 300 mil por doações oficiais da UTC e R$ 200 em dinheiro vivo.

Ao Jornal Nacional, os três citados negaram doações irregulares.