STJ autoriza quebra de sigilo telefônico de Pezão e Cabral; ambos foram citados na Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 03/06/2015 20h01
Luiz Fernando Pezão

O Superior Tribunal de Justiça autorizou a quebra de sigilo telefônico do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB) e do ex-governador, Sérgio Cabral (PMDB). Ainda neste mesmo pedido foi autorizada a quebra de sigilo de Régis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil do RJ e de representantes de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

O pedido foi autorizado pelo ministro Luis Felipe Salomão, relator do Lava Jato no Supremo Tribunal Federal e foi enviado à Corte pela Polícia Federal. Os registros telefônicos a serem revelados são referentes ao período anterior à campanha de 2010.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, Cabral e Pezão agiram juntos, com contribuição de Fichtner, para receber R$ 30 milhões de empresas contratadas pela Petrobras. O dinheiro seria para a construção do Comperj, no Rio de Janeiro, e teria sido destinado para a campanha de ambos em 2010, quando estavam como candidatos à governador e vice, respectivamente. A PGR apura ainda se os investigados cometeram os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O Ministério Público Federal possui suspeitas de que o recebimento de propina foi feito por intermédio de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras.