STJ nega pedido de prisão domiciliar e determina que João de Deus volte à prisão

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2019 16h31
Ernesto Rodrigues/Estadão ConteúdoPedido havia sido feito em razão do estado de saúde do médium, que trata de um aneurisma no abdômen

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, nesta terça-feira (4), o pedido de prisão domiciliar feito pela defesa de João de Deus e cassou a decisão que havia autorizado a internação do médium em um hospital neurológico de Goiânia, onde está desde março. O pedido havia sido feito em razão do estado de saúde do líder espiritual, que trata de um aneurisma no abdômen.

Os ministros Nefi Cordeiro, Saldanha Palheiro, Laurita Vaz e Rogério Scheitti votaram contra a solicitação. Apenas o ministro Sebastião Reis Junior votou para substituir a prisão preventiva por domiciliar e aplicar outras cautelares, como entrega de passaporte e proibição de deixar Abadiânia (GO).

Nefi Cordeiro destacou que João teve recente melhora de saúde, o que permite a continuidade do tratamento médico na prisão. O ministro ressaltou ainda que ambos os decretos prisionais contra ele – por suspeita de abusos sexuais e posse ilegal de armas de fogo – foram devidamente fundamentados.

João de Deus foi preso preventivamente em dezembro de 2018, em meio a denúncias de abuso sexual contra mais de 500 mulheres. A Promotoria de Abadiânia recebeu mais de 330 denúncias de vítimas de 14 estados e de outros seis países.

Ele é réu em oito processos por crimes sexuais, posse ilegal de arma e falsidade ideológica, além de estupro de vulnerável. Desde que se tornou alvo da série de acusações, o médium tem negado os crimes.

* Com informações da Agência Brasil