Suspeita de enriquecimento ilícito: Operação Barão de Entre-Rios mira ex-presidentes do Detran

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2019 10h55
DivulgaçãoTambém são cumpridos 10 mandados de bloqueios de contas bancárias

A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpre na manhã desta quarta-feira (30) 18 mandados de busca e apreensão nas cidades do Rio e de Três Rios. O objetivo é investigar o enriquecimento ilícito.

O principal alvo da operação denominada Barão de Entre-Rios é o ex-presidente do Detran e deputado federal eleito, Vinicius Farah. Ele foi preso na Operação Furna da Onça, em novembro, mas solto.

Também são cumpridos 10 mandados de bloqueios de contas bancárias. Foram apreendidos ainda documentos em um dos endereços ligados a Leonardo Jacob, no Rio de Janeiro. Jacob sucedeu Farah na presidência do Detran.

De acordo com as investigações, Vinicius Farah é proprietário de franquias de redes de fast-food e possui ainda empresas comandadas por “laranjas”. O exemplo dado pela investigação é o da Boate Zoox Club, em Três Rios, em sociedade com Celso Jacob Filho (secretário de Turismo de Três Rios), que tem alto custo de manutenção, mas baixa média de público, o que indicava lavagem de dinheiro.

Ainda segundo os investigadores, Fernanda Curdi, que chegou a presidir o Detran_-RJ era encarregada de manipular licitações para que empresas com ligação ao esquema vencessem. Ela foi chefe do setor de licitação da Prefeitura de Três Rios de 2004 a 2016 e chefe do setor de compras do Detran. Ela assumiu a presidência por conta da prisão de Jacob.

Confira quem são os outros investigados da Operação Barão de Entre-Rios:

– Leonardo Jacob: sucedeu a Farah na presidência do departamento

– Fernanda Curdi: chegou a presidir o órgão

– Celso Jacob Filho: secretário de Turismo de Três Rios

– Sonia Farah

– Eunice Farah

– Leonardo Rezende