Dois suspeitos de envolvimento na morte de caminhoneiro em Rondônia são presos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 30/05/2018 20h01 - Atualizado em 30/05/2018 20h29
Reprodução/ Polícia Rodoviária FederalA pedra atravessou o para-brisa do caminhão e atingiu a cabeça do motorista

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública) disse que dois homens foram presos por suspeita de envolvimento na morte de um caminhoneiro no interior de Rondônia nesta quarta-feira (30). Jungmann ressaltou que o caso será apurado pela instância estadual.

“O principal suspeito foi preso pela Polícia Federal e neste momento está prestando depoimento. O chefe desse grupo também está detido e prestando depoimento”, afirmou sem especificar qual grupo seria esse.

Questionado, Jungmann respondeu que era o “líder do grupo que lá estava”, mas que não sabe o nome. O grupo, de acordo com o ministro, estaria impedindo a passagem de caminhoneiros que queriam abandonar a paralisação. Jungmann disse que a forma como o motorista foi morto, atingido por uma pedra na cabeça enquanto dirigia o caminhão, foi “absolutamente desumana”.

O ministro também informou que pediu um levantamento de todas as prisões que foram feitas pelas forças policiais durante a greve, mas que ainda não possui os dados exatos e que serão divulgados para a imprensa nos próximos dias.

Ele disse ainda que há uma operação concentrada no interior de Rondônia, considerada uma das áreas críticas. “Essas áreas críticas estão se reduzindo rapidamente”, ponderou.

Atos de violência e prisões

Mais cedo, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, anunciou que “novas prisões” estão sendo executadas por causa de atos de violência por “grupos estranhos” à mobilização dos caminhoneiros, em greve há dez dias. O ministro não especificou, no entanto, quantas novas pessoas foram presas, nem onde.

Embora não tenha detalhado as novas detenções, o ministro informou que foi preso o homem visto em vídeo divulgado pela imprensa agredindo motorista de cegonheira que vestia camisa vermelha e tentava passar por bloqueio.

O ministro se referia a um episódio de violência registrado na terça-feira na BR-153, em Miranorte, na região central do Tocantins. Nas imagens, é possível ver que o caminhoneiro teve a roupa rasgada e recebeu socos. Nesta terça-feira (29) outras sete pessoas já haviam sido presas em atos semelhantes, no Maranhão.

Régis

Também na tarde desta quarta-feira (30), um caminhoneiro que deixou o ponto de manifestação na rodovia Régis Bittencourt em Embu das Artes, na Grande São Paulo, perdeu o controle do veículo após uma pedra ser atirada no para-brisa do caminhão.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o caminhão passava por Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo, quando dois suspeitos em uma motocicleta atiraram pedras contra o veículo. O caminhão pertence à empresa catarinense Kobrasol, que confirmou o acidente e informou que, após as pedradas, o motorista precisou tirar o veículo da pista para não atingir outros carros que trafegavam na rodovia. Ao sair da estrada, o caminhão tombou.