Tarcísio lamenta ataque em escola de SP e fala em ‘esforços concentrados’ para socorrer feridos

De Londres, governador de São Paulo usou as redes sociais para comentar o caso em que um adolescente de 13 anos esfaqueou professores e estudantes de uma escola do bairro Vila Sônia, na capital paulista

  • Por Jovem Pan
  • 27/03/2023 10h53 - Atualizado em 27/03/2023 15h55
Vinicius Freitas/Governo do Estado de São Paulo Tarcísio de Freitas Governador Tarcísio de Freitas se pronunciou pelas redes sociais sobre o ataque em uma escola estadual

De Londres, na Inglaterra, para onde viajou a fim de buscar novos negócios para o Estado de São Paulo, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) usou as redes sociais para se solidarizar às vítimas do ataque com faca em uma escola estadual da Vila Sônia (zona sul da capital paulista), na manhã desta segunda-feira, 27, que deixou uma pessoa morta e ao menos cinco feridas.”Não tenho palavras para expressar a minha tristeza com a notícia do ataque a alunos e professores da Escola Estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia. O adolescente de 13 anos já foi apreendido e nossos esforços estão concentrados em socorrer os feridos e acolher os familiares”, escreveu Tarcísio. O governo estadual também se pronunciou de forma institucional e informou que o secretário de Segurança Pública do Estado, Guilherme Derrite, está no local do crime para tomar medidas cabíveis e prestar apoio.

“O Governo do Estado de São Paulo lamenta profundamente e se solidariza com as famílias dos professores e alunos que foram vítimas de ataque à faca de um adolescente do 8º ano na Escola Estadual Thomazia Montoro, na zona oeste de São Paulo. A situação causa consternação a todos e a prioridade neste momento é prestar socorro às vítimas e apoio aos familiares. Quatro professores e dois alunos foram feridos e encaminhados aos Hospitais das Clínicas, Bandeirantes, Universitário e São Luís. A Polícia Militar foi acionada e a Civil investiga os fatos. O jovem de 13 anos de idade foi apreendido. Os secretários de Estado da Educação, Renato Feder, e da Segurança, Guilherme Derrite, estão na escola para tomar as primeiras medidas e prestar apoio a professores, familiares e alunos”, diz a nota oficial do governo.

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.