Taxa de desemprego no Brasil aumenta mais de 1% no segundo trimestre de 2020

As maiores taxas no período de abril a junho foram observadas na Bahia (19,9%), em Sergipe (19,8%) e em Alagoas (17,8%); os menores resultados ocorreram em Santa Catarina (6,9%), Pará (9,1%) e Rio Grande do Sul (9,4%)

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2020 10h24
LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOAs maiores taxas de desemprego no período de abril a junho foram observadas na Bahia (19,9%), em Sergipe (19,8%) e em Alagoas (17,8%)

A taxa de desocupação passou de 12,2% no primeiro trimestre de 2020 para 13,3% no segundo trimestre, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) Trimestral, divulgados nesta sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No segundo trimestre do ano passado, a taxa de desocupação era de 12%. Ainda houve aumento na taxa de desemprego em 11 das 27 Unidades Federativas do país.

No Estado de São Paulo, a taxa de desocupação passou de 12,2% no primeiro trimestre para 13,6% no segundo trimestre. As maiores taxas no período de abril a junho foram observadas na Bahia (19,9%), em Sergipe (19,8%) e em Alagoas (17,8%). Os menores resultados ocorreram em Santa Catarina (6,9%), Pará (9,1%) e Rio Grande do Sul (9,4%). A maior alta do primeiro para o segundo trimestre ocorreu em Sergipe, cuja taxa de desemprego apresentou alta de 4,3 pontos porcentuais (p.p.). outros aumentos relevantes ocorreram em Mato Grosso do Sul (+3,7 p.p.) e Rondônia (+2,3 p.p). Segundo o IBGE, apenas Amapá e Pará tiveram queda na taxa (-5,8 p.p. e -1,6 p.p , respectivamente). Os demais Estados apresentaram estabilidade na taxa de desemprego.

*Com Estadão Conteúdo