Temer aposta em defesa jurídica e caneta forte para permanecer na Presidência

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2017 09h21
GRA022. BRASILIA, 22/04/2017.- El presidente de Brasil, Michel Temer, durante la entrevista concedida a la Agencia EFE en Brasilia, en la que destacó la visita a su país la semana próxima del presidente del Gobierno español, Mariano Rajoy, y abordó cuestiones de actualidad nacional e internacional. EFE/Joédson AlvesMichel Temer dá entrevista à agência EFE

O presidente Michel Temer tenta remontar o governo e faz um balanço na esplanada dos ministérios, após a delação bombástica da JBS que desestruturou sua base de apoio.

O peemedebista se ressente de abandonos que sofreu nos momentos mais tensos da divulgação do conteúdo que motivou abertura de investigação contra ele mesmo.

O presidente convocou líderes e ministros para reuniões no Palácio do Planalto e quer saber exatamente com quem pode contar.

Quem sai dos encontros com Temer diz que o peemedebista está mesmo decidido a resistir e vai, primeiro, fazer a uma defesa jurídica “forte”.

Ao mesmo tempo, o presidente quer se fechar em um grupo político coeso.

Temer quer fazer o que sua antecessora e companheira de chapa, Dilma Rousseff, não conseguiu no auge da crise política que culminou no impeachment da petista: política.

Munido de caneta forte e tendo no Congresso aliados dispostos a tudo pelo poder, a tentativa é de continuar no cargo, respondendo à investigação no Supremo e resistindo às pressões políticas que tendem a aumentar a partir de agora.

O presidente Michel Temer está sendo investigado por três crimes: corrupção passiva, obstrução à investigação de organização criminosa e participação de organização criminosa.

E continua presidente.

Com informações do repórter Jovem Pan em Brasília José Maria Trindade