Temer espera receber 3ª denúncia e já articula para se safar

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2018 10h09 - Atualizado em 22/03/2018 10h31
EFE/Joédson AlvesPresidente Michel Temer, acossado por diversas acusações criminais, tenta se fortalecer politicamente para barganhar apoio durante eleições

O Palácio do Planalto já trabalha tendo em vistas uma eventual terceira denúncia criminal contra o presidente da República Michel Temer. A informação é da colunista do Estadão Andreza Matais.

Temer é investigado pelo decreto dos Portos, que estendeu a concessão para empresas do setor de 35 anos para 70 anos. O presidente da República, que tem ligações políticas no porto de Santos, teria solicitado propina da Rodrimar para editar o decreto.

Na última terça (20), ministros e advogados do presidente discutiram o assunto.

Espera-se que a procuradora-geral da República Raquel Dodge ofereça a nova denúncia contra Temer antes das eleições de outubro. Para o presidente da República se tornar réu, dois terços dos parlamentares devem aprovar a acusação.

Michel Temer já teve duas denúncias criminais paralisadas pela Câmara dos Deputados no ano passado, quando foi acusado de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução à Justiça com base em delações e gravações da JBS, como da mala de dinheiro de seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, também envolvido no inquérito dos portos.

Reforma ministerial

No cálculo político da equipe presidencial, a reforma ministerial que Temer fará para recompor sua equipe após a debandada dos pré-candidatos será usada para fortalecer o apoio de Temer na Câmara e barrar a denúncia.

O grupo próximo ao presidente também avalia que as trocas de cadeiras na esplanada dos ministérios será usada para aumentar a força de barganha eleitoral do presidente. O entendimento é de que, quanto mais força Temer tiver, maior é sua chance de escapar da terceira acusação criminal em meio às campanhas.