Temer muda versão e admite que usou avião de Joesley em viagem de família

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2017 14h01
BRA01. RÍO DE JANEIRO (BRASIL), 19/05/2017.- Fotografía sin fechar, cedida por Campo Grande News hoy, viernes 19 de mayo de 2017, muestra a uno de los dueños de la empresa JBS Joesley Batista (i) junto al presidente de Brasil, Michel Temer (d), en Río de Janeiro (Brasil). Directivos del grupo JBS que colaboran con la justicia confesaron que pagaron sobornos por 80 millones de dólares al expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva y a su sucesora Dilma Rousseff, según documentos divulgados hoy, viernes 19 de mayo de 2017, por la Corte Suprema. En los documentos revelados por la corte, uno de los dueños de JBS, Batista, y el exdirector de Relaciones Institucionales del grupo Ricardo Saud, sostienen que los sobornos pactados con el ministro de Hacienda de Lula y Rousseff, Guido Mantega, desde 2005, alcanzaron la suma de 80 millones de dólares, depositados en diversas cuentas bancarias abiertas en el exterior. EFE/João Quesada/CAMPO GRANDE NEWS/SOLO USO EDITORIAL/NO VENTAS/MÁXIMA CALIDAD DISPONIBLEEFE - Joesley Batista e Michel Temer

Após negar que Michel Temer voou com a família em avião do dono da JBS Joesley Batista em janeiro de 2011, quando o peemedebista ainda era vice-presidente da República, a assessoria do Palácio do Planalto confirmou a informação provada por Joesley em sua delação premiada, que fez com que o presidente da República fosse investigado por corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa.

Para mostrar que tinha relação muito próxima com Temer desde 2010, Joseley Batista anexou ao processo o diário de bordo de sua aeronave no qual consta a presença da “família sr. Michel Temer”.

O avião de Joesley saiu do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em 12 de janeiro de 2011 para Comandatuba, na Bahia. Dois dias depois, a mesma aeronave particular buscou o então vice-presidente e sua família na pista de jatinhos do resort de luxo Transamérica Comandatuba e voltou para São Paulo.

A informação foi revelada pelo site “O Antagonista” e pelo “Jornal Nacional”, da TV Globo, na noite desta terça (6). Ainda naquela noite, a assessoria de Temer negou que o presidente tenha ido para Comandatuba em janeiro. Ela citava viagem de Temer em abril para a cidade baiana em avião da Força Aérea Brasileira para participar de evento do Lide, o grupo empresarial então comandado pelo empresário e hoje prefeito João Doria.

Na nova nota oficial, o Planalto assume a viagem em janeiro. Ela dá a entender que Temer não desfrutou do hotel, mas voltou para Brasília para seguir sua “agenda normal”. A família de Michel Temer retornou a São Paulo no mesmo avião. O Planalto alega que “o vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave” e assume que Temer “não fez pagamento pelo serviço”. Compare as duas notas:

Na noite de terça (6):

“O então vice-presidente Michel Temer não foi a Comandatuba em janeiro de 2011. Ele foi no mês de abril para compromisso com o grupo LIDE e utilizou aeronave da FAB para seu deslocamento. Michel Temer também usou avião da FAB para deslocamento a Porto Alegre, no mês de janeiro”

Na tarde de quarta (7):

O então vice-presidente Michel Temer utilizou aeronave particular no dia 12 de janeiro de 2011 para levar sua família de São Paulo a Comandatuba, deslocando-se em seguida a Brasília, onde manteve agenda normal no gabinete. A família retornou a São Paulo no dia 14, usando o mesmo meio de transporte. O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço.

Resultado de imagem para Hotel Transamérica Ilha de Comandatuba

Imagem aérea do Hotel Transamérica Comandatuba

“O Transamérica Comandatuba possui aeroporto a 10 minutos da recepção, localizado no continente, capaz de receber aviões de grande porte, com a estrutura de apoio para voos privados e comerciais”, diz o site do estabelecimento