Temer recebe arcebispo do Rio e debate PEC que limita gastos públicos

  • Por Agencia Brasil
  • 10/10/2016 11h39
BRA12. BRASILIA(BRASIL),22/09/2016.- El presidente brasileño, Michel Temer, participa hoy, miércoles 22 de septiembre de 2016, en un acto en el Palacio presidencial de Planalto, donde anunció hoy una inversión de 1.500 millones de reales (unos 468 millones de dólares) en la educación secundaria, destinada sobre todo a la implantación de escuelas de tiempo integral en Brasilia (Brasil). EFE/FERNANDO BIZERRA JR EFE/FERNANDO BIZERRA JR Michel Temer EFE

Após audiência no Palácio da Alvorada com o presidente  Michel Temer, o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Dom Orani João Tempesta, disse nesta segunda-feira (10), que Temer demonstrou preocupação com a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 que prevê um teto para os gastos públicos.

“Ele expôs que está preocupado com o dia de hoje, com a votação de hoje, que ele tem uma necessidade de colocar o Brasil nos trilhos. E pediu para que rezássemos para que pudesse ser o que for melhor”, afirmou Dom Orani, na saída do Alvorada.

A votação da PEC 241 de 2016 – que prevê um teto para os gastos públicos por até 20 anos – está marcada para começar nesta segunda-feira (10), no plenário da Câmara e deve terminar na terça-feira (11). No domingo (9), o presidente Michel Temer ofereceu jantar a deputados da base aliada para pedir apoio à aprovação da proposta, considerada fundamental para permitir a queda de juros e retomada do aumento do Produto Interno Bruto (PIB).

Contando os votos

Confiante na aprovação da PEC, o governo espera contar com mais de 350 votos para garantir a aprovação da proposta. A afirmação é do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, responsável pela articulação política do governo.

Dom Orani disse que a reunião com Temer teve como objetivo apresentar o trabalho da Rede Vida, emissora de televisão cristã. “Aproveitamos para rezar juntos na capela [do Alvorada] pedindo pelo país e para que tenhamos cada vez mais as luzes necessárias para que se possa governar para os necessitados e para os pobres para que possam ter vida com dignidade”, afirmou o arcebispo do Rio.