Temer só discute volta do MDA após impeachment, diz sindicalista

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/06/2016 13h37
BRA01. BRASILIA (BRASIL), 24/05/2014.- El presidente interino de Brasil, Michel Temer, declaró hoy, martes 24 de mayo de 2016, que si está en el poder es "consecuencia de la constitución", al iniciar una reunión con sus ministros y un grupo de parlamentarios en el Palacio de Planalto (Brasilia). "Quiero refutar a quienes todo el tiempo dicen que en Brasil hubo una ruptura constitucional, porque eso no es cierto, porque yo soy producto de la Constitución", afirmó Temer. EFE/FERNANDO BIZERRA JRMichel Temer durante anúncio de medidas econômicas - EFE

Após se reunir com o presidente em exercício Michel Temer, o dirigente nacional da Frente Nacional da Luta (FNL), Carlos Lopes, afirmou, nesta quarta-feira (1), que os movimentos de luta pela terra apresentaram ao governo uma pauta macro da agricultura familiar, incluindo o pedido de retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário, que teve suas secretarias incorporadas à Casa Civil no governo interino. “Temer assumiu o compromisso junto às classes para construir as condições para que o MDA volte”, afirmou. 

Segundo o sindicalista, Temer se colocou “atento e vigilante” à pauta no campo, mas ressaltou sua condição de interinidade. “Ele esta em interinidade e em legitimidade dada pelo Congresso e pela Justiça”. “Quem dá legitimidade é o povo, se ele for presidente do povo, ele terá legitimidade”.

O deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), que se colocou como intermediário da conversa, salientou que Temer foi elogiado pelos sindicalistas por recebê-los e disse que o presidente em exercício deixou claro que só discutiria a volta do MDA após término da questão do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. “Temer disse que, assim que terminar o impeachment, ele quer fazer reformulação e uma rediscussão nesta questão dos ministérios”. 

Paulinho, que trabalhou pela transferência de cinco secretarias do antigo MDA para a Casa Civil, a fim de indicar nome para os comandos dos órgãos, disse que a decisão de trazer as secretarias da Agricultura e o Incra para o Planalto foi elogiada pelos sindicalistas. “Mostra que Temer quer resolver o problema no Palácio no Planalto”. 

Além de Paulinho e Lopes, participaram do encontro o secretário Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento da Casa Civil da Presidência da República, José Ricardo Ramos Roseno, o presidente do Incra, Leonardo Góes Silva, além dos representantes da FNL, entre eles, o líder dos sem terra José Rainha Junior. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, também estava na reunião