Temer viaja para São Paulo após avanço em investigações

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2018 11h40 - Atualizado em 12/04/2018 12h19
EFE/Joédson AlvesTemer tem diversas linhas de investigação que pesam contra si

O presidente Michel Temer faz uma viagem de emergência para São Paulo nesta quinta-feira (12) logo após o almoço, informa a repórter Jovem Pan em Brasília, Luciana Verdolin.

A viagem do presidente foi marcada de última hora. Ela acontece no dia em que o jornal Folha de S. Paulo revelou que a Polícia Federal investiga reforma no apartamento de sua filha, Maristela Temer, que foi paga em dinheiro vivo pela mulher do Coronel Lima, João Baptista Lima Filho, apontado como operador de propinas de Michel.

Temer costuma ir à capital paulista para se encontrar com seus advogados e discutir os avanços das acusações criminais que pesam sobre ele.

Recentemente o Ministério Público pediu a prisão preventiva do coronel Lima e do também amigo, advogado e ex-assessor do Planalto, José Yunes, apontado como outro operador de propina de Temer. Também foram pedidas as preventivas do ex-deputado e ex-assessor político de Temer Rodrigo Rocha Loures, e de seus aliados Eduardo Cunha (MDB-RJ), Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves (MDB-RN). Cunha, Alves e Geddel estão presos na Lava Jato. Loures está em prisão domiciliar.

Todos os pedidos de prisão foram negados pela 12ª vara federal do Distrito Federal na última segunda (9).

Os pedidos do MP indicam avanço das investigações sobre o chamado “quadrilhão do MDB” e do inquérito dos Portos. Ambos tangenciam a figura do presidente da República. Também preocupa Temer o inquérito da Operação Skala, que também envolve seus amigos.

A viagem de última hora, não prevista na agenda oficial do presidente, foi discutida por Temer com seus ministros mais próximos, Moreira Franco (Minas e Energia) e Eliseu Padilha (Casa Civil), no Palácio do Jaburu. Moreira e Padilha também são citados e investigados por recebimento de propina na Lava Jato.