‘Terremoto’: Cidades baianas registram tremores de terra

O Centro de Sismologia da USP registrou tremores de intensidade 3.7 e 4.2 em São Miguel das Matas, município do estado

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2020 11h18 - Atualizado em 31/08/2020 08h50
PixabaySegundo o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na região de Mutuípe, localizada no Vale do Jiquiriçá, o tremor foi de magnitude 4.6

Moradores de cidades baiana registraram tremores de terras na manhã deste domingo, 30. Os casos foram registrados em dezenas de municípios, como Amargosa, Tancredo Neves, São Miguel das Matas, Santo Antônio de Jesus, Mutuípe, Laje, São Miguel, Elísio Medrado. Segundo o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na região de Mutuípe, localizada no Vale do Jiquiriçá, o tremor foi de magnitude 4.6. Entre os relatos, moradores afirmam que sentiram “o chão tremer” e objetos caíram de estantes.

Em Salvador, o fenômeno também foi sentido. O prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro, afirmou ao Correio 24 horas, que também sentiu o chão balançar e acionou as autoridades competentes para entender o corrido. “Sentimos um tremor em Amargosa e há relatos de que isso ocorreu na região inteira. Não sabemos ainda o que aconteceu, estamos buscando junto com a Defesa Civil do estado para ver se algum centro de sismologia registrou”, afirmou ao veículo. Pinheiro conta que embora tenha sido rápido, cerca de três segundos, o tremor foi de grande intensidade. “Foi assustador. Não temos relatos de danos nas ruas ou nas casas, mas estamos com equipes nas ruas para verificar”, completa. Além da UFRN, a Universidade de São Paulo também notificou o abalo. O Centro de Sismologia da USP registrou tremores de intensidade 3.7 e 4.2 em São Miguel das Matas, município de 11.704 habitantes.