Toffoli agradece articulação de deputado com Temer para acelerar sanção de reajuste

  • Por Victoria Abel
  • 09/11/2018 18h37
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilMinistro do STF esteve em evento com desembargadores de São Paulo

O ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli agradeceu publicamente ao deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) pelo pedido feito ao presidente Michel Temer de aceleração para sanção do reajuste de salário do judiciário. Toffoli esteve em uma reunião em São Paulo com magistrados do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, nesta sexta-feira, 9.

Após passar pelo Senado, o aumento salarial do judiciário agora espera a sanção, ou seja, aprovação do presidente Temer. “Contamos com a ajuda do Arnaldo mais uma vez. Sempre apoiando a magistratura. Arnaldo já ligou ao presidente pedindo rápida sanção”, declarou o ministro à plateia de desembargadores que assistia ao lançamento do projeto de digitalização do acervo de processos físicos do tribunal. “Temos que ser justos com quem é justo conosco”, completou.

O planalto, no entanto, espera uma sinalização do Supremo para o fim do auxílio moradia. A ação que julgará a permanência ou não desse benefício para magistrados está nas mãos do ministro Luiz Fux, relator no STF. Em outras ocasiões, Toffoli já havia apresentado a extinção do benefício como uma alternativa para reduzir o impacto do aumento salarial.

Para o especialista em contas públicas do Tendências Consultoria Fábio Klein, o fim do privilégio não compensaria o acréscimo de 5 mil e 600 reais nos salários do STF, já que o auxílio custa na faixa de 4 mil. Segundo ele, mesmo que se coloque a cobrança do imposto de renda líquido sobre esse aumento, a diferença nominal entre os custos ainda estaria perto de 700 reais.

Klein ainda lembra que esse reajuste no judiciário pode gerar um efeito cascata, com um resultado próximo a 6 bilhões de reais de prejuízo nas contas públicas. “A medida que isso respinga reajustes para outras categorias, tanto no governo federal, quanto nos estados e municípios, o impacto se torna muito grande.”

Durante a reunião, Dias Toffoli ainda destacou para seus colegas de profissão seu cansaço ao se dedicar as negociações que envolvem o aumento de salários. “As senhoras e senhores devem perceber que eu estou muito cansado. Dormi muito poucas horas nesses dias, e devem saber o por quê.”