Transexual é assassinada a facadas em São Paulo; amigos falam que foi ‘por inveja’

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2019 19h00
Reprodução/FacebookRelatos dizem que ela teria se envolvido em uma briga com outra transexual, que tentou arrancar a sua prótese de silicone

Alana Ferreira, transexual de 34 anos, foi assassinada, na madrugada desta quinta-feira (16), no bairro da Barra Funda, zona Oeste de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo, a vítima morreu às 15h40min na Santa Casa de Misericórdia, no centro da capital.

Segundo consta na sua página do Facebook, Alana estava morando em Paris e voltou para São Paulo recentemente. Amigos e familiares da vítima disseram que ela foi “brutalmente assassinada por inveja”. A versão é que ela teria se envolvido em uma briga com outra transexual, que tentou arrancar a sua prótese de silicone. Elas se atacaram, e Alana levou uma facada.

Em nota, a SSP informou que um policial civil plantonista do hospital tomou conhecimento do óbito, que foi registrado como um “possível choque hemorrágico”. O hospital não forneceu informações sobre o local do resgate ou da viatura que prestou socorro, bem como do estado de saúde da vítima antes de ser socorrida. Diante disso, a ocorrência foi registrada como “morte suspeita”, já que a 77 Delegacia de Polícia oficiou o estabelecimento de saúde para que fornecesse o prontuário, mas não teve a solicitação atendida.

Na madrugada desta terça-feira (14), um carro tentou atropelar duas transexuais  na esquina da rua Felício Marcondes, no centro de Guarulhos (SP). A batida derrubou o muro do antigo casarão da rua Sete de Setembro. A vítima prestou depoimento à 1ª Delegacia de Polícia e o motorista do veículo, ainda não identificado, foi acusado por lesão corporal culposa.