Transferência de pasta do ensino superior não está decidida, diz Marcos Pontes: ‘Existem prós e contras’

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2018 20h46 - Atualizado em 06/11/2018 20h51
Bruno Castilho/Estadão ConteúdoAstronauta disse querer lei que permita destinação de dinheiro privado a universidades públicas

O futuro ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, disse que a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ainda não bateu o martelo sobre a transferência do ensino superior para a pasta, como já foi anunciado. Segundo o astronauta, “existem prós e contras” na medida.

“Existem prós e contras. Há uma associação porque há muita ciência nas universidades, mas há conexão com o restante do ensino que precisa ser analisado”, afirmou. A decisão deve ser tomada pelo futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM) junto com o próprio Bolsonaro.

Marcos Pontes é um dos integrantes nomeados para a equipe de transição de Bolsonaro e conversou com jornalistas entre reuniões do grupo no Centro Cultural Banco do Brasil nesta terça-feira (6). Ele disse estar conversando com empresários para “facilitar” possíveis investimentos.

Universidades públicas com recursos privados

Um dos projetos de Pontes é mudar a legislação para permitir que universidades públicas recebam recursos da iniciativa privada. Atualmente, o dinheiro tem que passar por fundações ou as doações têm de obedecer de regras, o que acabaria desestimulando o aporte.

“A legislação tem que ser revista para permitir que universidades recebam recursos diretamente para investimentos em pesquisa, projetos, patentes que interessem à empresa. Essa é uma das minhas bandeiras”, afirmou o astronauta, que também é engenheiro.

*Com informações do Estadão Conteúdo