TSE rebate Bolsonaro: ‘Eleições sem fraudes foram conquista da democracia’

Durante viagem aos Estados Unidos, o presidente afirmou que tem provas de que venceu o pleito de 2018 em primeiro turno

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2020 15h04 - Atualizado em 11/03/2020 08h24
José Cruz/Agência BrasilTirbunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília

Um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que houve “fraude” nas eleições de 2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), presidido pela ministra Rosa Weber, divulgou uma nota em que rebate as declarações e reafirma a “absoluta confiabilidade e segurança” do sistema eletrônico de votação.

Bolsonaro disse nesta segunda (9), durante evento nos Estados Unidos, que houve “fraude” nas eleições presidenciais e afirmou ter provas de que venceu o pleito no primeiro turno.

“Embora possa ser aperfeiçoado sempre, cabe ao Tribunal zelar por sua credibilidade, que até hoje não foi abalada por nenhuma impugnação consistente, baseada em evidências. Eleições sem fraudes foram uma conquista da democracia no Brasil e o TSE garantirá que continue a ser assim”, afirmou o tribunal, em nota, na tarde desta terça-feira (10).

O então candidato do PSL à Presidência da República venceu as eleições no segundo turno, quando obteve 55,13% dos votos. No primeiro turno, Bolsonaro conseguiu 46,03% dos votos válidos, o que não foi suficiente para liquidar a disputa imediatamente.

“Pelas provas que tenho em minhas mãos, que vou mostrar brevemente, eu tinha sido, eu fui eleito no primeiro turno, mas no meu entender teve fraude”, disse Bolsonaro na segunda, que ainda chorou ao falar da facada que sofreu durante a campanha. O presidente, no entanto, não apresentou ou citou qualquer indicativo oficial para justificar sua fala.

Confira abaixo a íntegra da nota do TSE:

“Ante a recente notícia, replicada em diversas mídias e plataformas digitais, quanto as suspeitas sobre a lisura das eleições 2018, em particular o resultado da votação no 1º turno, o Tribunal Superior Eleitoral reafirma a absoluta confiabilidade e segurança do sistema eletrônico de votação e, sobretudo, a sua auditabilidade, a permitir a apuração de eventuais denúncias e suspeitas, sem que jamais tenha sido comprovado um caso de fraude, ao longo de mais de 20 anos de sua utilização.

Naturalmente, existindo qualquer elemento de prova que sugira algo irregular, o TSE agirá com presteza e transparência para investigar o fato. Mas cabe reiterar: o sistema brasileiro de votação e apuração é reconhecido internacionalmente por sua eficiência e confiabilidade. Embora possa ser aperfeiçoado sempre, cabe ao Tribunal zelar por sua credibilidade, que até hoje não foi abalada por nenhuma impugnação consistente, baseada em evidências.

Eleições sem fraudes foram uma conquista da democracia no Brasil e o TSE garantirá que continue a ser assim.”

*Com informações do Estadão Conteúdo