Tuma Jr. cobra explicações do Corinthians sobre pagamento a filho de Lula

  • Por Jovem Pan
  • 16/02/2016 12h26

Romeu Tuma Júnior deixou o ministério da Justiça em 2010 após ser acusado de envolvimento com a máfia chinesa

Romeu Tuma Júnior deixa o ministério da Justiça em 2010

A Operação Lava Jato quer saber se Luís Cláudio, filho do ex-presidente Lula, tem alguma relação com ilicitudes na construção do Itaquerão. A relação da Arena Corinthians com o ex-presidente é o fato de seu filho, Luis Cláudio Lula da Silva, ter sido contratado e recebido R$ 500 mil do clube paulista.

O valor foi recebido pelo filho de Lula entre 2011 e 2013, mas o empresário não teria desempenhado funções no clube, segundo investiga a Lava Jato. O que a Lava Jato quer saber é por que coincidem em parte os pagamentos feitos ao filho de Lula com a época da construção do estádio do Corinthians.

Vale lembrar que a empresa de Luís Cláudio já é alvo de investigação na Operação Zelotes por ter recebido R$ 2,4 milhões do lobista Mauro Marcondes, o que a PF desconfia ter relação com o suposto esquema de “compra” de Medidas Provisórias.

E como conselheiro do Corinthians e ex-secretário nacional de Justiça, sob Lula, Romeu Tuma Júnior sabe como ninguém o que deve ser investigado entre a relação de Luís Cláduio Lula da Silva e a construção do Itaquerão.

Tuma diz que, já como conselheiro do clube, se pronunciou à época “que algo parecia muito estranho na relação da Odebrecht com o Corinthians e com a construção do estádio”. O estranhamento vem “desde a retirada de dutos do terreno onde o estádio seria construído”.

“O Corinthians deve explicação à Justiça agora. Deixaram fazer uma lambança envolvendo o clube. Agora tem que apresentar qual é o serviço que foi prestado, se o clube desembolsou esse valor realmente, se não foi se alguém usou o clube, se alguém pagou por fora”, cobra Tuma Jr.

“Isso tem que vir à tona e ser rapidamente esclarecido. Até porque tem que preservar a imagem do clube, esclarecer a opinião pública e tem que saber se pagou, da onde veio esse dinheiro, para onde foi o dinheiro e que tipo de serviço foi prestado. Ou se o Corinthians também foi usado para eventual lavagem de dinheiro. Isso tudo é muito sério e muito grave”, afirmou em entrevista exclusiva a Claudio Tognolli.