Unicam e Abcam não assinam acordo com o governo federal

  • Por Jovem Pan com Agência Brasil
  • 24/05/2018 22h30 - Atualizado em 24/05/2018 22h34
Fernando Oliveira/PRF/DivulgaçãoPRF escolta carga de combustível para aviação

Duas das 11 entidades de caminhoneiros que participaram da reunião com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) recusaram a proposta do governo. A União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) não assinaram o documento.

O presidente da Abcam, que representa 700 mil caminhoneiros, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que continuará parado. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. […] vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, disse Lopes.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) se sentaram à mesa com representantes dos caminhoneiros decididos a ter um respiro na paralisação, que afeta distribuição de produtos em todo o país.

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel.