Michel Temer é preso pela Lava Jato; Juiz fala em ‘líder de organização criminosa’

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2019 11h20
EFE/Fernando Bizerra JrINVESTIGAÇÃO - Ex-presidente Michel Temer teve prisão decretada em desdobramento da Lava Jato

O ex-presidente Michel Temer foi preso na manhã desta quinta-feira (21) pela Operação Lava Jato. Os mandado foi expedido ontem pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A investigação decorre de elementos colhidos nas Operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade deflagradas pela Polícia Federal anteriormente e, notadamente, em razão de colaboração premiada por um empresário da construtora Engevix.

Michel Temer é o segundo ex-presidente da República preso por corrupção — o primeiro foi Luiz Inácio Lula da Silva no dia 7 de abril do ano passado.

“Por sua posição hierárquica como vice-presidente ou como presidente da República do Brasil, e a própria atitude de chancelar negociações do investigado Lima o qual seria, em suas próprias palavras, a pessoa ‘apta a tratar de qualquer tema’, é convincente a conclusão ministerial de que Michel Temer é o líder da organização criminosa a que me referi, e o principal responsável pelos atos de corrupção aqui descritos”, diz a decisão judicial.

O emedebista foi conduzido por um comboio da Polícia Federal até o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo e submetido a um exame de corpo de delito. De lá, seguirá para o Rio de Janeiro.

O ex-ministro Moreira Franco também foi preso pelos agentes da PF na capital fluminense.

Radioatividade

A ação de hoje é um desdobramento da operação Radioatividade sobre desvios nas obras da Usina de Angra 3 e tem como base a delação do empresário José Antunes Sobrinho, dono da Engevix, que menciona pagamento de propina de R$ 1 milhão. A quadrilha praticou crimes de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e fraudes à licitação.

De acordo com o Ministério Público Federal, também foram determinadas as prisões preventivas de João Baptista Lima Filho (Coronel Lima), Maria Rita Fratezi, Carlos Alberto Costa, Carlos Alberto Costa Filho, Vanderlei de Natale e Carlos Alberto Montenegro Gallo. E foram expedidos mandados de prisão temporária de Rodrigo Castro Alves Neves e Carlos Jorge Zimmermann. Foi determinada ainda a realização de busca e apreensão nos endereços dos investigados, assim como de Maristela Temer, Othon Luiz Pinheiro da Silva, Ana Cristina da Silva Toniolo e Nara de Deus Vieira, além de buscas em empresas.

Imagem: Estadão

TEMER

Michel Miguel Elias Temer Lulia, de 78 anos, nasceu em 23 de setembro de 1940 na cidade paulista de Tietê. Graduou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) em 1963 e lecionou na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e na Faculdade de Direito de Itu (FADITU).

A vida política começou em 1981, quando se filiou ao MDB. Em 1983, foi nomeado pelo governador Franco Montoro para a Procuradoria-Geral do Estado, onde permaneceu por um ano, para assumir a secretaria de Segurança Pública. Voltaria à pasta em outubro de 1992, seis dias após o Massacre do Carandiru, por indicação do governador Fleury Filho.

Temer foi eleito deputado federal quatro vezes seguidas, a primeira delas durante a Assembleia Nacional Constituinte, na década de 1980. Durante o mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o emedebista foi eleito presidente da Câmara dos Deputados duas vezes.

À frente da Presidência Nacional do partido, em 2001, no segundo mandato do ex-presidente Lula, Temer conseguiu tornar sua sigla parte da base governista. Em 2009, com o apoio do governo, foi eleito para mais um mandato como presidente da Câmara.

Em 2010, foi eleito vice-presidente na chapa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), para o qual se reelegeu quatro anos depois. Em 31 de agosto de 2016, assumiu a presidência da República após o impeachment de Dilma.