Viaduto interditado na Marginal Tietê tem carga de asfalto três vezes maior que a projetada

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2019 18h39
Willian Moreira/Estadão ConteúdoPonte de acesso à Via Dutra foi interditada na semana passada

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (28) que o viaduto interditado na Marginal do Rio Tietê, na zona norte, estava com carga de asfalto três vezes maior do que havia sido projetada para suportar. Alça de acesso da pista expressa para a Rodovia Presidente Dutra, a ponte tem problema em viga.

De acordo com Covas, a empresa contratada para a recuperação – G2O Engenharia – encontrou documentos que mostram que a obra foi concluída em 1969. Dez anos depois, o engenheiro responsável autorizou que um recapeamento da via, desde que a camada de asfalto não superasse 10 centímetros. Hoje, a via está com 29 centímetros.

“A carga que recebe hoje é muito maior do que foi projetada para aguentar. Razão pela qual a obra de recuperação deve durar mais que o previsto inicialmente. Não estamos mais falando apenas de recuperar uma viga, mas de trabalho de recape para que ela [a ponte] possa ser adequada ao tamanho da carga que foi feita para suportar”, disse o prefeito.

A prefeitura paulistana ainda não tem uma estimativa de custo ou de tempo para a conclusão das obras do viaduto, que foi bloqueado na última quarta-feira (23). Antes, outra empresa já havia sido contratada para elaborar oito laudos sobre a situação de viadutos na capital. Foi ela quem identificou os riscos de queda na alça da Marginal.

Segundo Covas, a estrutura pertence ao governo federal, mas a gestão municipal optou por realizar o reparo. “Vamos deixar para discutir responsabilidade em um segundo plano A prefeitura prontamente contratou a empresa para recuperação, já está em obras e depois, se for o caso, a gente discute com o governo federal a possibilidade de sermos ressarcidos.”

*Com informações do Estadão Conteúdo