Em vídeo, secretário da Pesca pede desculpa por multa: ‘A lei não está poupando ninguém’

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2019 19h34
Reprodução / Twitter"Obviamente que é uma situação desagradável", admitiu Jorge Seif Júnior

O secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, divulgou um vídeo para comentar as multas de R$ 70 mil aplicadas pelo Ibama contra a empresa de sua família, após um flagrante de pesca ilegal de sardinha em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. De acordo com ele, o responsável pela infração é seu pai, Jorge Seif, dono da embarcação alvo da fiscalização.

“Lamento, peço perdão a vocês por isso. No entanto, quem tem que responder por cada CPF e por cada atitude é o próprio”, disse o secretário.

“Obviamente que é uma situação desagradável. Eu não gostaria que ninguém levasse multa ambiental, que nenhum crime ambiental fosse cometido. Obviamente, nem meu pai, nem os barcos do meu pai, nem os pescadores do meu pai ou de minha família ou de quem quer que seja, que cometa alguma irregularidade. Agora, quando eles recebem multa e vão ter que responder por uma atividade irregular, eu me alegro. Isso está mostrando que o governo Bolsonaro, que o Ibama não põe a mão, a lei está sendo cumprida e não está poupando ninguém, mesmo a família do secretário de pesca”, completou.

Jorge Seif Júnior ainda criticou a divulgação das infrações por parte da imprensa. “Olha, eu vou agora copiar o meu capitão. Me chama de corrupto, me chama de corrupto. Acha aí, fala aí onde é que tem erro lá na nossa secretaria, fala aí onde é que nós estamos vacilando com o povo, onde nós estamos desonrando o voto que eles deram para o Bolsonaro. Isso vocês não vão falar nunca”, declarou. “Beijos pra vocês, peço perdão e meu pai que responda aí pelas empresas, pelos barcos que ele administra e a nossa família.”

View this post on Instagram

Conclusões do Episódio: 1 – Não há nesse governo privilégios; 2 – Quem erra está sendo punido; 3 – A lei está para todos; 4 – Crimes ambientais continuam sendo coibidos; 5 – Apesar de vazadas, as multa só comprovaram a postura de seriedade e austeridade… inclusive com familiares; 6 – Cada um responde exclusivamente por si e por seu CPF, em assim sendo, quem deve responder às questões é o comandante da embarcação seguido dos administradores; 7 – Quando entrou no governo se desligou das empresas e não possui mais cotas em nenhum CNPJ; 8 – Foi feita a devida declaração na comissão de ética da Presidência e o mesmo esta afastado de todas atividades empresariais, se dedicando ao cargo na adm pública federal; 9 – Eventuais problemas com embarcações ou empresas de pesca, da família ou não, devem ser respondidas pelos mesmos; 10 – Brasil acima de tudo! Deus acima de todos!

A post shared by Jorge Seif Junior (@jorgeseifjunior) on

A família do secretário da Pesca atua com atividade pesqueira em Santa Catarina há mais de 40 anos. Até dezembro passado, o secretário, que esteve presente ao lado de Bolsonaro em várias “lives” publicadas em redes sociais, era sócio dos negócios pesqueiros do pai. Por causa de conflitos de interesse apontados pela Comissão de Ética da Presidência, ele deixou os negócios para assumir o posto no governo.

A autuação contra a família Seif ocorreu no dia 25 de julho. O barco estava ancorado em Angra dos Reis e foi flagrado com o tanque cheio das iscas vivas, que a tripulação pretendia usar para pescar atum na região Sul do País.

O pai do secretário, o empresário Jorge Seif, dono da JM Seif Transportes, sediada em Itajaí (SC), disse que não sabia onde o barco de sua empresa pescava e que vai demitir toda a tripulação quando chegar em terra. Disse ainda que vai pagar as multas pela pesca ilegal.

*Com Estadão Conteúdo