Viúva de Marielle vai à ONU denunciar ‘mãos sujas de sangue’ das autoridades brasileiras

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2018 18h23 - Atualizado em 19/09/2018 18h26
Reprodução/FacebookNo dia 14 deste mês, assassinato completou seis meses

A viúva de Marielle Franco esteve nesta quarta-feira (19) em Genebra, na Suíça, para denunciar a demora das autoridades brasileiras em chegar a uma conclusão para o caso do assassinato da vereadora. Ela se reuniu com a alta comissária adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Kate Gilmore, e com a relatora especial da ONU para Execuções Sumárias, Agnes Callamard.

“Em reunião com a ONU, após mais de seis meses sem respostas, denuncio o descaso do governo brasileiro na ausência de justiça frente à execução política de Marielle. Também solicitei apoio internacional, para uma investigação imparcial, e sigo afirmando que as autoridades brasileiras estarão com as mãos sujas de sangue até que respondam quem matou e quem mandou matar minha companheira Marielle Franco”, disse, em nota.

Tanto Kate Gilmore quanto Agnes Callamard expressaram solidariedade a Mônica. Também estiveram no encontro representantes da Redes da Maré, do Observatório da Intervenção, da Anistia Internacional, e da Conectas Direitos Humanos.

No dia 14, a execução de Marielle e do motorista Anderson Gomes completou seis meses.

Representantes da Anistia Internacional, Redes da Maré – Somos Todos Maré, Observatório da Intervenção, Conectas…

Publicado por Anistia Internacional Brasil em Quarta-feira, 19 de setembro de 2018