YouTube remove vídeos com alegações de fraude nas eleições de 2018

Plataforma vai excluir conteúdos com informações falsas de que as urnas eletrônicas brasileiras foram hackeadas no último pleito

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2022 15h50 - Atualizado em 22/03/2022 15h52
Pixabay YouTube YouTube anunciou mudanças nas diretrizes de comunidade

O YouTube anunciou nesta terça-feira, 22, que vai remover vídeos com alegações sobre suposta fraude nas eleições de 2018. Serão excluídos conteúdos que mencionem que erros ou problemas técnicos generalizados mudaram o resultado eleitoral, além de vídeos com informações falsas de que as urnas eletrônicas brasileiras foram hackeadas no último pleito. A empresa também proibiu conteúdos que tenham o objetivo de enganar eleitores sobre a hora, o local, os meios ou requisitos necessários para votar, ou informações falsas que possam fazer as pessoas desistirem de ir às urnas.

“Isso inclui alegações falsas de que as urnas eletrônicas brasileiras foram hackeadas na eleição presidencial de 2018 e de que os votos foram adulterados”, diz o comunicado. A atualização já foi implementada em outros países como Estados Unidos, em 2020, e Alemanha, em 2021. “Como sempre, nossas políticas se aplicam igualmente a todos os criadores de conteúdo, quaisquer que sejam as suas opiniões políticas”, acrescentou. Em paralelo, o YouTube vai incluir um painel de informações na parte superior dos resultados da pesquisa, ou abaixo dos vídeos relacionados ao voto eletrônico, com um link para informações oficiais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).